Por Evandro Carlos Artuzi (15h45)

Iniciado em 1995, o Projeto Agrinho, desenvolvido pelo Sennar/PR chega ao final de mais uma edição. No próximo dia 12 de novembro, sexta-feira da semana que vem, os finalistas de cada categoria se encontram em Curitiba para a grande final, um evento que reúne autoridades de vários segmentos.
São projetos de professores e alunos das redes municipal, estadual e particular de ensino, que concorrem há vários prêmios, entre eles, veículos 0 km. A região Sudoeste estará representada por secretários municipais de educação, professores e alunos de sete municípios que chegam à final deste ano, Chopinzinho, Coronel Vivida, Marmeleiro, Pranchita, São Jorge D´Oeste, São João e Mangueirinha.
Chopinzinho é o que concorre com o maior número de trabalhos. São cinco nas categorias de Experiência Pedagógica, Município Agrinho, Escola Agrinho e Redação 7ª série. Em segundo aparece São João com quatro trabalhos nas categorias Município Agrinho, Escola Agrinho, Redação 4ª série e Redação 6ª série.
Em seguida está Marmeleiro com três trabalhos nas categorias Redação 1ª série, Redação 3ª série e Redação 4ª série. Coronel Vivida tem dois projetos nas categorias Redação 2ª série e Redação 5ª série. São Jorge D´Oeste está classificado na categoria redação 5ª série, Pranchita Redação 8ª série e Mangueirinha Redação 5ª série.
O projeto é desenvolvido nos municípios do Estado pelos Sindicatos Rurais com apoio das secretarias municipais de educação. Em alguns municípios o projeto ganha uma importância ainda maior. Um exemplo é Chopinzinho, onde a secretaria de educação criou a edição municipal oferecendo uma premiação municipal. A iniciativa tem como principal objetivo aumentar as disputas e o interesse de professores e alunos em participar do Agrinho, garantiu o professor Leomar Bolzani, Secretário Municipal de Educação. A premiação municipal aconteceu na quinta-feira (28), onde os participantes foram reunidos no Clube do Vovô.