Por Larissa Mazaloti

 

Foram onze horas de sessão para decidir se o Ficha Limpa já vai valer nestas eleições, no dia 3 de outubro ou se fica para o próximo pleito. Todo este tempo não foi suficiente para que os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) definissem de uma vez por todas algo que já deveria estar claro para o eleitor e para os candidatos. A votação ficou empatada em 5 a 5.

 

E foi assim, que a 1h15 o julgamento foi suspenso por tempo indeterminado.
De acordo com o portal de notícias da Globo, o G1, durante o debate entre os ministros, eles também levaram em conta — em razão do empate — a possibilidade de seguir o entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que decidiu pela validade da Lei da Ficha Limpa na eleição deste ano e pela aplicação da lei a casos anteriores à sua vigência.

 

O presidente do STF, Cezar Peluso, que foi um dos cinco a votar contra a validade da lei e liberação da candidatura ao governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PSC), que teve o registro barrado pelo Ficha Limpa.

 

Na possibilidade do voto do presidente do Supremo para o desempate, o próprio descartou esta hipótese. No G1, uma matéria relata que Peluso acha que seu voto tem o mesmo valor que o dos demais ministros.

 

Votos contrários à validade do Ficha Limpa

 

Dias Toffoli

 

Gilmar Mendes

 

Marco Aurélio Mello

 

Celso de Mello

 

Cezar Peluso

 

Votos favoráveis à validade do Ficha Limpa

 

Carlos Ayres Britto

 

Cámen Lúcia

 

Joaquim Barbosa

 

Ricardo Lewandowski

 

Ellen Gracie