• Compartilhe no Facebook

Professores da rede municipal de Palmas, Sul do Paraná, não descartam movimento de greve, caso não seja apresentada uma nova proposta de reajuste salarial pelo Executivo. A categoria não ficou satisfeita com o percentual de 1,49% oferecido pelo Executivo e aprovado pelo Legislativo para todos os servidores municipais, incluindo os subsídios do prefeito e vice-prefeito.O reajuste foi publicado hoje(27) no Diário Oficial do Município(DIOEMS).

Um protesto ocorreu durante a sessão do Poder  Legislativo, na noite desta segunda-feira(27), com representantes dos profissionais utilizando a Tribuna Livre da Casa.

  • Compartilhe no Facebook

A Presidente do Sindicato dos Professores Municipais(SINDIPROM), Deise dos Santos de Carvalho Argenta, criticou ao RBJ/Rádio Club o percentual oferecido em comparação aos salários pagos aos Cargos Comissionados(CCs) do prpróprio do Executivo.

Informou, entretanto, que o percentual foi discutido anteriormente entre o Executivo e os representantes da categoria. Na ocasião, disse ela, o prefeito justificou o reajuste, mas que a intenção inicial era não promover qualquer reajuste. “Deixamos o trabalho correr, mas estamos descontentes”, disse ela.

Informou que após regularização do Sindicato e posse da nova diretoria será convocada uma Assembléia. Posteriormente, as deliberações serão levadas a conhecimento do Executivo, mas não se descarta uma greve, caso haja decisão neste sentido. “O prefeito está avisado e isso pode ser considerado um estado de greve. Nós vamos nos unir para que haja um aumento maior ainda neste ano”, disse ela,

Salientou que a participação na sessão dos vereadores não resolveu a demanda da categoria  mas foi uma oportunidade para falar e desabafar. “Deixar que a comunidade nos ouça e nos entenda”, disse ela.