Levantamento do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), realizando em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU), revelou que 643 servidores de 39 prefeituras do Sudoeste teriam recebido indevidamente o auxílio emergencial de R$ 600,00 do governo federal.

Com 199 casos, Pato Branco lidera o ranking da região de beneficiários irregulares. Em seguida estão Francisco Beltrão, com 101, e Chopinzinho, com 77 benefícios ilegais. Ao todo, no Sudoeste, foram pagos R$ 462,6 mil em auxílios para servidores municipais. Apenas as prefeituras de Saudade do Iguaçu, Verê e Vitorino não registraram casos.

  • Compartilhe no Facebook

O levantamento identificou, em todo o Paraná, 10.648 recebedores do auxílio federal e que trabalham em 388 das 399 prefeituras do Estado. Só não foi identificada a irregularidade em 11 municípios. Não se descarta a possibilidade de que os servidores supostamente beneficiados possam ter sido vítimas de fraude, o que será investigado.

Em comunicado enviado aos prefeitos, o TCE-PR lembra que os funcionários públicos que receberam indevidamente o benefício cometeram os crimes de estelionato e falsidade ideológica – já que ao fazer o cadastro, o interessado tinha que declarar que não possuía vínculo de trabalho com órgão público. O Tribunal também alerta que cada município deve analisar as possíveis infrações disciplinares cometidas por seus servidores neste caso.

Foto de capa: Marcello Casal Jr/Agência Brasil