A senadora da República pelo Estado do Paraná, Gleisi Hoffmann (PT), concedeu entrevista à Rádio Club de Palmas, sul do Paraná, na manhã de hoje (28), onde fez uma avaliação do cenário econômico e político em âmbito estadual e nacional. Conforme ela, o ritmo de trabalho no Senado Federal segue acelerado, em meio à uma série de discussões. Destacou que com o seu retorno ao Congresso, ela tem estabelecido um contato maior com a população do Paraná.

"Desde 2010, nós investimos R$ 825 bilhões em saúde e educação", comparou a senadora
  • Compartilhe no Facebook

“Desde 2010, nós investimos R$ 825 bilhões em saúde e educação”, comparou

Sobre a Copa do Mundo, foi enfática ao dizer que o Brasil deverá ganhar tanto em campo, como em outras áreas. Segundo ela, todos os investimentos nas áreas de mobilidade, transportes, dentre outras, serão utilizadas pela população, posteriormente aos jogos. Sobre os gastos em estádios, considerou que os investimentos em saúde e educação foram 100 vezes maiores. Além disso, Gleisi ressaltou que os recursos utilizados nas “arenas da Copa” foram emprestados à iniciativa privada e deverão ser devolvidos aos cofres públicos.

Ao avaliar sua passagem pelo Ministério da Casa Civil, Hoffmann destacou que foi um período de muito aprendizado, tanto para a sua vida profissional como política. “Eu estava no coração do Governo, ao lado da presidenta, colocando em pé programas e projetos importantes. Isso me deu uma bagagem muito grande, me preparou para enfrentar desafios.”, considerou.

Outro assunto abordado pela parlamentar, diz respeito às acusações do Governo do Paraná, de que ela seria a culpada pela não liberação de empréstimos ao Estado.  “Isso é um absurdo!”, afirmou. Segundo Hoffmann, o Paraná recebeu uma série de investimentos em diversas áreas. Entretanto, os empréstimos não foram liberados porque o Executivo estadual não aplicou o índice mínimo de 12% em saúde. Além disso, o Estado apresentou também irregularidades com a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Como é que pode um Estado dever para fornecedor? Não ter gasolina para os carros da Polícia?”, questionou a senadora, considerando que o problema não trata-se de decisões do Governo Federal, mas, de má  gestão do Governo do Paraná. “Isso nada tem a ver com empréstimos. Eu penso que é uma desculpa muito grande que o governador tem dado para justificar a incompetência e a incapacidade administrativa que ele tem.”, declarou.

"Estou animada em colocar à disposição da população, a minha capacidade e experiência", disse a senadora sobre as eleições
  • Compartilhe no Facebook

“Estou animada em colocar à disposição da população, a minha capacidade e experiência”, disse a senadora sobre as eleições

Sobre as eleições deste ano, Hoffmann disse que será a oportunidade da população avaliar os trabalhos de cada governo. “Meu nome está colocado. Eu sou considerada pré-candidata pelo partido”, confirmou. Segundo ela, o PT promove um encontro no próximo sábado (31), de onde poderão sair as primeiras definições para o pleito deste ano. “É um momento em que eu posso colaborar para esse debate, trazendo a experiência que eu tive em nível nacional sobre gestão, organização de programas e projetos, vivência no projeto de país, para construirmos um projeto no Estado do Paraná.”, avaliou.