19021695_1453135708057983_1584029887_n
  • Compartilhe no Facebook

Foto: Guilheme Zimermann/RBJ/Revista Olhar

Prestes a completar, oficialmente 107 anos, foi sepultada ontem (05) em Palmas, sul do Paraná, Dona Dionísia Alves Rodrigues. Nascida em Santa Catarina, no que é hoje o município de Faxinal dos Guedes, faleceu em decorrência de complicações respiratórias, no último domingo, por volta das 16h00.

Conforme contou a neta, Adriana Machado, ao RBJ, a vovó teve nascimento oficializado em cartório em 10 de Outubro de 1910, mas sua idade real é 109 anos, pois como costume da época, já tinha dois anos quando foi registrada , conforme relatos da família.

A filha de Angelino Alves Rodrigues e Maria Pedroso de Abreu casou-se aos 15 anos com Olegário Machado e da relação nasceram 13 filhos, dez ainda vivos. Dona Dionísia deixou 125 netos, 75 bisnetos e pelo menos 25 tataranetos. Sempre trabalhou na agricultura e vivia no Bairro Hípica. Relata a família que a anciã gostava muito de política e até que pode se locomover fez questão de comparecer às urnas eleitorais.

Mesmo tendo perdido a fala, há seis anos, Dona Dionísia sempre muito lúcida e alegre estava sempre atenta a vida da família.  “A vó era faceira, zelava pelos filhos e netos. Era rígida e cobrava muito a responsabilidade”, contou hoje pela manhã a neta Adriana, que acompanhou os últimos dias da centenária vovó.