Mais de 600 eleitores da Comarca, que abrande os municípios de Palmas e Coronel Domingos Soares, tiveram seus títulos eleitorais cancelados pela Justiça Eleitoral, por não terem votado e nem justificado o voto, nas últimas três eleições (eleições municipais, 2016) e em 2014(dois turnos das eleições gerais). A legislação considera que cada turno é um pleito para efeito de suspensão da inscrição. Ainda há possibilidade buscar nova inscrição.

Conforme calendário do Tribunal Superior Eleitoral(TSE), o prazo terminou no dia 02 de Maio deste ano. Do total de 620 inscritos como faltosos, apenas 09 compareceram para regularização. Desta forma foram cancelados 551 títulos de Palmas e outros 60 de Coronel Domingos Soares. O cancelamento automático do título em débito ocorreu no último dia 19 maio de 2017. Consulte: Coronel Domingos Soares   Palmas

 A Justiça Eleitoral da 32ª Zona orienta que para ficar em dia o eleitor deve ir ao Forum eleitoral, na Rua Capitão Paulo de Araújo, com seu respectivo título, pagar a multa por não ter justificado a ausência do voto em cada um dos respectivos turnos e apresentar carteira de identidade (RG), carteira de habilitação(CNH), certidão de nascimento ou de casamento, carteira de trabalho ou passaporte que apresente a filiação.

Também é necessário o comprovante de residência original mais recente: contas de luz, água, telefone ou envelopes de correspondência. Quem não tiver correspondências em seu nome, pode levar o comprovante em nome de outro familiar que mora na mesma residência, mais um documento que comprove o parentesco. Na oportunidade,  já poderão realizar também o cadastramento da biometria. ]

CONSEQUÊNCIAS DE ESTAR IRREGULAR

-não poder se inscrever em concurso ou prova para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se neles;
-não receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição;
-não obter passaporte ou carteira de identidade;
-não participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal ou dos municípios, ou das respectivas autarquias;
-não obter empréstimos nas autarquias, sociedades de economia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe, e com essas entidades celebrar contratos;
-não renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;
-não praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda;
-não obter certidão de quitação eleitoral;
-não obter qualquer documento nas repartições diplomáticas a que estiver subordinado.