Os ataques contra Penitenciárias em todo o País têm deixado dirigentes do Depen (Departamento penitenciário) em alerta no Paraná, principalmente depois da explosão registrada na Penitenciária Estadual de Piraquara, região metropolitana de Curitiba, na madrugada de domingo (15), quando 26 detentos conseguiram fugir. Para evitar que novos ataques aconteçam, a segurança dos presídios foi reforçada.

Marcos Andrade, diretor da PEFB diz que situação está controlada. Foto: Arquivo RBJ
  • Compartilhe no Facebook

Marcos Andrade, diretor da PEFB diz que situação está controlada. Foto: Arquivo RBJ

Em Francisco Beltrão, de acordo com o diretor da PEFB Marcos Andrade, além do monitoramento por câmeras, outras medidas foram tomadas nesses últimos dias. Em entrevista à Rádio Onda Sul FM, adiantou que o número de Agentes Penitenciários e Policiais Militares foi aumentado. Também existe um contato direto entre o setor de inteligência do presídio com a direção do Depen, em Curitiba.

Marcos Andrade afirma que todo o cuidado está sendo tomado para evitar rebeliões e ataques, a exemplo dos registros de Piraquara e na carceragem da Delegacia de Telêmaco Borba, que foi explodida na madrugada desta segunda-feira (16). Andrade revelou que presos que integravam facções criminosas foram transferidos ainda na semana passada exatamente para evitar problemas.

Além dessas medidas, o diretor do presídio espera contar com apoio da comunidade na fiscalização. Segundo ele, é importante que moradores das proximidades avisem a direção ou a polícia ao perceber qualquer movimentação estranha, assim será possível evitar problemas.