Atualmente, uma das principais marcas dos municípios desenvolvidos é o empreendedorismo. Cada vez mais empresários têm buscado qualificação e treinamentos a fim de alcançar melhores resultados. Da mesma forma, as cidades buscam apoios para se desenvolver e aumentar a oferta de emprego e renda para a população. Sendo assim, empreendedorismo e desenvolvimento social andam juntos.

Gradações utilizados pelo Pnud
  • Compartilhe no Facebook

Gradações utilizados pelo Pnud

Segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o município de Palmas, sul do Paraná, está entre as cidades de médio desenvolvimento, com um IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) de 0,660. No sudoeste, Palmas encontra-se na posição 40, e no Estado, em 343º lugar.

Outro índice utilizado para mensurar o desenvolvimento socioeconômico do país é o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal. Com base em medidores como saúde, educação e emprego e renda, o índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classificar o nível de cada localidade em quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4 a 0,6), moderado (de 0,6 a 0,8) e alto (0,8 a 1) desenvolvimento. Ou seja, quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade.

Indicadores do IDMPE
  • Compartilhe no Facebook

Indicadores do IDMPE

Pelo sistema Firjan, com base no ano de 2011, Palmas alcança um nível moderado de desenvolvimento (0,730). Nesse parâmetro, o município fica em 123º lugar no Paraná. Aliado à isso, o Sebrae (Serviço Brasileiro de apoio às Micro e Pequenas Empresas) também desenvolve o seu indicador, em que se mede o desenvolvimento das micro e pequenas do Estado, através do IDMPE (Índice de Desenvolvimento Municipal da Micro e Pequena Empresa).

Escalas do IDMPE
  • Compartilhe no Facebook

Escalas do IDMPE

Com base no IDMPE, o município de Palmas cresceu 5,5% entre 2008 e 2012. Para se calcular o IDMPE são utilizados o IDE (Índice de Desenvolvimento Empresarial), o IDM (Índice parcial de Desenvolvimento do Mercado consumido local) e o IDI (Índice parcial de Desenvolvimento do ambiente Institucional). Em 2008, o IDMPE palmense era de 0,540, caindo para 0,518 em 2010 e chegando à 0,570 em 2012. Nessa análise, Palmas encontra-se em médio desenvolvimento em todos os indicadores. Entretanto, um dos parâmetros que preocupam é a geração de emprego e renda. Segundo o Pnud, a renda mensal per capita da população palmense é de R$ 575,55. Outro cálculo feito, através de levantamento junto ao Ministério do Desenvolvimento Social, revela que mais de 25 mil pessoas vivem com menos de ½ salário mínimo ao mês.

Esse é um dos desafios que o Movimento Palmas Desenvolvida visa enfrentar. Lançado no mês de abril, o Movimento que reúne representantes de vários segmentos  da sociedade local; poder público – Executivo e Legislativo e voluntários, tem como objetivo desencadear processos permanentes de debate, planejamento e ações de curto, médio e longo prazos tendo em vista o crescimento econômico e desenvolvimento social do município.

Dentro das ações desenvolvidas, estão a elaboração de uma carta aos candidatos ao Governo do Estado e à Assembleia Legislativa e Câmara Federal, contendo reivindicações consideradas estratégicas para o desenvolvimento de Palmas. Além disso, após uma série de reuniões onde foram explanadas as potencialidades do município, o Executivo municipal deverá assinar nos próximos dias um convênio com o Sebrae, que, dentro dos trabalhos, irá realizar um planejamento de ações à longo prazo, em conjunto com as empresas e entidades palmenses.