A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) começou as visitas domiciliares nos 1.239 imóveis contemplados com a implantação da rede coletora de esgoto, na cidade de Ampére, na Região Sudoeste do Estado. As vistorias são realizadas para verificar se as instalações hidrossanitárias foram executadas adequadamente.

O trabalho dos técnicos tem por finalidade identificar onde o esgoto está sendo lançado e se não há irregularidade na ligação da água da chuva, que deve ser encaminhada para a galeria de águas pluviais.

Para realizar as visitas domiciliares, as equipes contratadas utilizam coletes e crachás de identificação e veículo com a inscrição “A Serviço da Sanepar”. Na vistoria, são utilizados corantes nas pias, ralos, vasos sanitários e nas calhas para facilitar a identificação de possíveis irregularidades. Os imóveis em que a ligação não estiver totalmente de acordo com o padrão serão notificados e terão prazo de 30 dias para a regularização.

Nos endereços em que não for possível efetuar a vistoria será deixado um comunicado com o número de telefone de contato da equipe para que o morador agende a data mais apropriada para a visita dos agentes. O trabalho deve se estender até o final do ano.

ESGOTO E ÁGUA DA CHUVA

A água da chuva e o esgoto doméstico nunca devem ser misturados. Cada um tem sua rede própria. A água da chuva deve ser canalizada para a tubulação de concreto, implantada pela Prefeitura. É chamada de galeria de água pluvial. É nesta rede que estão as bocas de lobo, equipamento com grade, instaladas entre a rua e o meio-fio. Quando os moradores fazem ligações irregulares, ou seja, direcionam a água da chuva na rede da Sanepar, aumenta o volume dentro da rede, o que provoca extravasamentos e até refluxo do esgoto para dentro dos imóveis, porque as redes coletoras, as estações elevatórias e as estações de tratamento do esgoto estão dimensionadas para receber apenas o esgoto doméstico.

O esgoto também nunca deve ser direcionado para a galeria de água da chuva, porque vai direto para o rio, sem receber tratamento. O gestor ambiental da Sanepar, Danielison Pinto, destaca que o objetivo das vistorias é orientar para melhorar a eficiência do sistema de esgoto sanitário e evitar transtornos para cidade.

As ligações de esgoto incorretas causam danos para toda a comunidade, pois o refluxo do esgoto pode ocorrer não apenas para dentro do imóvel onde a ligação está inadequada, mas também para outros imóveis vizinhos, mesmo naqueles em que a ligação está correta. O extravasamento do esgoto também pode contaminar ruas, rios e outras áreas públicas. “Uma ligação de esgoto errada pode trazer inúmeros prejuízos”, diz Danielison.

O gerente da Sanepar, Celço Arisi, informa que foram aplicados cerca de R$ 2,5 milhões na implantação de mais de 26 km de redes coletoras de esgoto para atender cerca de 4 mil moradores da área urbana. ”O sistema de esgoto, quando bem utilizado, traz benefícios para a cidade, melhora a qualidade ambiental e amplia a infraestrutura, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social do município.”