Nesta terça-feira(21) o SAMU 192 está completando quatro anos de funcionamento nos 42 municípios do Sudoeste do Paraná. Neste período foram realizados 120 mil atendimentos. Prefeitos e gestores estão discutindo redução de custos  pelo serviço.

No ano passado, a Central em Pato Branco atendeu 57.806 chamados e realizou 33.609 atendimentos. Entre março de 2016 e 20 de fevereiro deste ano, foram realizados 31.808 atendimentos de um total de 54.373 chamados, que incluíram trote, engano, regulação, informação, orientação, transporte, reclamações, dentre outros.

Recentemente uma reunião entre Comissão de Saúde da Associação dos Municípios do Sudoeste do PR(AMSOP) e direção do Ciruspar, o consórcio que administra o serviço de urgência e emergência no Sudoeste, debateu alternativas para reduzir o custo do serviço sem afetar o atendimento à população.

Atualmente, o Samu é mantido com repasses federais, estaduais e dos municípios, que pagam R$ 1,05 por habitante. A proposta é rediscutir questões técnicas para que o serviço seja mais eficiente, através de controles internos de manutenção da frota, revisão dos gastos administrativos e até a redução da contribuição de municípios que não possuem bases do Samu. Uma comissão técnica está fazendo o levantamento financeiro do Samu para apresentar cinco propostas alternativas.