Trabalhar integrados Samu 192 Sudoeste do Paraná e equipes das secretarias municipais de saúde. Essa é a ideia para fazer os primeiros socorros e atendimentos de emergência chegar a toda população do Sudoeste no menor tempo possível. O Samu está disposto no Sudoeste em dez bases descentralizadas para cobrir os 42 municípios, por isso muito pode ser feito pelas próprias equipes de saúde municipais. Pensando nisso, treinamentos de integração começaram neste sábado (25), no Centro de Saúde de Enéas Marques, quando o coordenador de enfermagem do Samu 192 Sudoeste, Gerson Luiz Leonarski e sua equipe da Base Descentralizada de Dois Vizinhos e de Pato Branco trocaram experiências com 13 profissionais da área de saúde de Enéas Marques.

O secretário municipal de Saúde de Enéas Marques, Clóvis Michels estava animado com a integração entre as equipes. Do lado do município, participaram técnicas em enfermagem, enfermeiras, condutores socorristas e médicos plantonistas. Do lado do Samu, além do enfermeiro coordenador, também a farmacêutica Angelisa Toscan, técnicos em enfermagem e condutores socorristas.

Bases Descentralizadas

Distante 27 km de Dois Vizinhos e 25 km de Francisco Beltrão, onde há em cada qual uma Base Descentralizada do Samu 192 Sudoeste, normalmente os atendimentos à população de Enéas são feitos por ambas as bases.

“Tem dado ocorrências no município e o Samu veio atender, mas temos questões a acertar. Por isso, acredito que com esse treinamento vamos resolver bastantes problemas de encaminhamento de pacientes e de agilidade. Enéas Marques é um município próximo, mas para questões graves se torna distante, pois demora de meia hora a 40 minutos para a chegada de um veiculo até aqui. O pessoal, ao invés de ligar para o Samu acabam trazendo as pessoas no pronto atendimento na hora. Com essa integração da equipe municipal com o Samu – a gente podendo fazer o primeiro atendimento e a estabilização do paciente, acondicionando-o de uma forma segura, para depois providenciar o transporte, vai ser muito interessante”.

Capacitados para a agilidade

Gerson salienta que ao se sentir segura após a capacitação, as equipes do município poderão tripular as ambulâncias do tipo A e B do município (capacidade de atendimento básicos) e fazer os atendimentos com as orientações do médico regulador do Samu. “A equipe vai, dá o primeiro atendimento e, dependendo da gravidade, o médico regulador orienta deslocar para o pronto socorro municipal para a vitima ser devidamente estabilizada e reavaliada pelo médico. Ou posteriormente, dependendo de achados clínicos, ser reencaminhada para um local de maior infraestrutura clinica”, explicou.

Outra alternativa ainda é o transporte combinado. “Em casos graves essas equipes poderão, a critério do regulador médico, iniciar o transporte para encontrar no uma ambulância do Samu de Francisco Beltrão ou de Dois Vizinhos no caminho. O mais importante é que essas equipes poderão, por telemedicina, realizar procedimentos invasivos na própria ambulância do município, como por exemplo, em casos de fraturas evidentes, o médico poderá encaminhar essa própria equipe para um hospital de referência, fora de seu município de origem. Quem ganha com isso é a própria vitima que terá seu tempo resposta e resolutividade melhorada”.

São João, Sulina e Saudade

A próxima integração será nesta sexta-feira (31), na Secretaria Municipal de Saúde de São João, envolvendo ainda as equipes municipais de Saudade do Iguaçu e Sulina.