A chuva de granizo que atingiu cidades do Paraná na tarde desta terça-feira (12), também causou estragos em Salto do Lontra. A cidade foi uma das mais prejudicadas do Estado, com 4.910 pessoas afetadas. A tempestade, que durou cerca de 20 minutos, ocorreu no meio da tarde atingindo praticamente toda a cidade e algumas localidades rurais. A cobertura de centenas de casas, empresas, estabelecimentos comerciais e prédios públicos ficaram danificadas. Muitos veículos também tiveram danos.

Logo após o ocorrido, Agentes da Defesa Civil e funcionários da Prefeitura passaram a auxiliar as famílias com distribuição de lonas plásticas no Posto do Bombeiro Comunitário.

Aviário ficou completamente destruído. Foto: Evandro Artuzi/RBJ
  • Compartilhe no Facebook

Aviário ficou completamente destruído. Foto: Evandro Artuzi/RBJ

De acordo com o Major do Corpo de Bombeiros, Schinda, diretor regional de Defesa Civil, mais de 3.500 residências foram atingidas. “Estamos com as nossas equipes trabalhando e orientamos os moradores para que não subam nos telhados enquanto estiver úmido para evitar acidentes. Devem usas as lonas para cobrir os móveis dentro das casas” disse.

O prefeito Maurício Baú lamentou o ocorrido. “Infelizmente nosso município foi atingido novamente pela chuva de granizo, mas agora é momento de ter força, nos unirmos e enfrentarmos toda esta situação. Os danos foram realmente elevados e estamos trabalhando para ajudar a nossa população” concluiu.

No final da tarde de ontem (13), foi decretada situação de emergência em Salto do Lontra. Dessa forma, o município poderá receber ajuda dos governos Estadual e Federal.  As pessoas que queiram e puderem fazer doações de roupas, cobertores, colchões, enfim, devem levar no Posto do Bombeiro Comunitário na saída para Nova Prata do Iguaçu. Quem quiser doar, mas não tenha condições de levar até o Bombeiro Comunitário pode ligar no telefone 3538 1899 que há uma equipe da Prefeitura para ir buscar estas doações.

Em todo o Paraná, segundo a Defesa Civil, a tempestade de granizo e o vendaval afetou 17.935 pessoas. Ao todo, foram 4.596 casas danificadas deixando 1.188 pessoas desalojadas. dessas, 878 continuam em abrigos improvisados pelas prefeituras e coordenadorias municipais de Defesa Civil.