Ao visitar o site da Apremavi- Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida, para acompanhar o trabalho da entidade  que atua em programas ambientais nas Unidades de Conservação Federal juntamente com ICMbio- Instituto Chico Mendes de Biodiversidade em Palmas, General Carneiro, Passos Maia, Ponte Serrada, Abelardo Luz,  chamou atenção a reportagem sobre alguns pequenos frutos, que certamente fizeram parte da história da minha e da infância de muita gente em toda esta região.Pelas boas recordações que tal publicação me trouxe, decidi compartilhar com os leitores do RBJ, como forma de valorizar as particularidades da mata nativa regional.

10291094_829015533810196_8472534275967098184_n
  • Compartilhe no Facebook

Foto; Eduarda Fochzato/Palmas/PR

Por certo, muitos dos frutos citados são desconhecidos de grande parcela da população, principalmente os mais jovens. Embora não tenha citada na matéria tomei a liberdade de me recordar das “amorinhas” que tantos rostos, lábios e mãos da criançada do meu  tempo coloriram e sorrisos provocaram. Ensinei à minha filha o valor delas, tanto que as tenho em meu quintal.

Enfim vamos ao texto da Apremavi:

Cerejas,  pitangas, ingás, guabirobas… Estas são apenas algumas das frutas nativas que estão em época, ou próximas de serem colhidas na Mata Atlântica. Infelizmente, poucas destas delícias chegam à mesa dos consumidores, mas é fato que a procura por estes sabores, ainda considerados desconhecidos, aumentou. Nesta época de primavera/verão é tempo de colher vários frutos. Alguns mais conhecidos e que podem até serem encontrados em supermercados, já outros podem parecer estranho para muitos, mas escondem um verdadeiro sabor com um toque brasileiro. A cereja nativa da Mata Atlântica é uma fruta que está em época. Ela pode ser colhida entre agosto e novembro e é comum encontrar a famosa “cereja no topo do bolo”, como diz a frase popular. A fruta vermelha dá cor e sabor para diversos doces e pode ser encontrada comumente. As pitangas também estão prontas para colheita e conquistando muitos paladares também. O fruto ficou famoso e a procura aumentou. A pitanga está no bioma da Mata Atlântica e pode ser colhida entre junho e janeiro.

Outras frutas nativas que estão em período de colheita são as guabirobas, que podem ser encontradas entre os meses de novembro e janeiro. A época também favorece os ingás, que são quatro: ingá-anão, ingá-banana, ingá-do-campo e ingá-feijão. Eles podem ser colhidos em novembro, podendo, em alguns casos, se estender até março. Você pode até ter se surpreendido com a quantidade de frutas nativas que estão em época, mas existem ainda mais espécies e você pode conhecer todas, em detalhes, no “Guia de Espécies” disponível aqui no site da Apremavi. Para o ser humano, as frutas proporcionam uma alimentação mais saudável e até mesmo mais saborosa. Além disso, o plantio de árvores frutíferas pode e realmente é uma ótima opção de reflorestamento e recuperação de áreas degradadas no meio ambiente.