Por Larissa Mazaloti

 

Na última sexta-feira (12) aconteceu em Curitiba a reunião da Comissão Bipartite que é integrada por membros que representam o governo estadual e dos municípios. Na pauta do encontro estava a homologação do credenciamento do Ceonc – Francisco Beltrão junto ao SUS.

 

O que despertou na região sudoeste a expectativa do resultado foi a manifestação de vereadores de Pato Branco na semana passada, que se declararam contra o credenciamento. O argumento dos políticos é de que Pato Branco já possui uma unidade de atendimento a pacientes de câncer e que não haveria espaço para mais uma na região. O democrata Guto Silva chegou a ter uma audiência no governo do Estado para tentar impedir.

 

No entanto, quem teve êxito foi a comitiva dos 27 municípios da microrregião de Francisco Beltrão. A homologação foi assinada e agora o processo segue para o Ministério da Saúde. “Passamos mais uma fase”, comemora a secretária de Saúde de Beltrão, Cintia Ramos que conta que o projeto foi elaborado há menos de dois meses e já está seguindo para a última etapa do credenciamento. “Normalmente pode levar mais de um ano para ser aprovado, e o nosso já está adiantado”, comenta.

 

Cintia informa que passar da esfera estadual só foi possível com a força política dos deputados Ademar Traiano (PSDB) e Luciana Rafagnin (PT). Ela adianta que além da análise dos técnicos do Ministério, o Ceonc deve receber uma visita do INCA e do Ministério da Saúde.

 

O interesse vai além do sudoeste do Paraná. Mais sete municípios do extremo oeste de Santa Catarina seriam beneficiados. Os pacientes da micro de Francisco Beltrão não precisariam viajar 200 quilômetros para enfrentar tratamentos que debilitam o paciente. “Queremos aproximar o paciente do tratamento”, enfatiza a secretária.

 

OUÇA