Após anúncios e tratativas para que 2015 fosse o último ano de vacinação contra a febre aftosa no Paraná, o Governo do Estado voltou atrás e continuará vacinando as mais de 9 milhões de cabeças que compõem o rebanho bovino paranaense.

O Governo afirma que é apenas uma medida “cautelosa”, no entanto, a continuidade na vacinação ocorrerá porque o Estado não conseguiu implementar todo o projeto visando o status internacional de área livre da aftosa sem vacinação. Mesmo assim, a Secretaria da Agricultura e Abastecimento garante que não houve qualquer prejuízo com a mudança de planos.

Segundo a entidade, “nem todas as ações estruturantes [para a busca do status de área livre sem vacinação] foram suficientemente implementadas, em face da crise econômica e das dificuldades orçamentárias”. 169 novos técnicos para a Adapar (Agência de Defesa Agrocupecuária do Paraná) foram nomeados e estão passando por treinamento, porém, o Governo não conclui as obras dos 23 postos de fiscalização nas regiões de divisa do Estado.