Por Larissa Mazaloti

 

O dia 28 de julho, próxima quinta-feira, foi instituído como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. A data foi estabelecida pela Organização Mundial de Saúde. De acordo com o coordenador do Programa Estadual de Controle das Hepatites Virais, o enfermeiro Renato Lopes, toda a semana é dedicada a ações para alertar a população sobre a doença.

 

No quadro Rádio Saúde desta semana, veiculado pela Onda Sul FM, Lopes explica que os vírus mais comuns na região Sul e, portanto, no Paraná são as hepatites A, B e C. Mas existem outros dois tipos: a Delta, na região amazônica e a E nos países asiáticos.

 

As características de transmissão são diferentes para cada tipo de vírus. De acordo com o enfermeiro, a hepatite A, que é mais conhecida da população e tem menos chances de complicações para quem a contrai é transmitida através de alimentos e água contaminados quando a manipulação é feita sem a devida higiene.

 

As hepatites B e C podem ser transmitidas por relação sexual, principalmente a B e pelo sangue, seja pelo contato direto ou no uso de materiais como alicates, na colocação de piercings ou ao fazer tatuagens. Por isso a população deve estar sempre atenta a estas situações. “No passado era comum contrair a doença através de seringas de vidro que eram reutilizadas e mal esterilizadas, ou ainda na transfusão sanguínea”, lembra Lopes.

 

ACOMPANHE O BLOG DO ONDA NEWS

 

OUÇA