A presidenta Dilma Rousseff assinou, na sexta-feira (6), contratos para a construção de 25 mil unidades habitacionais pelo Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), nas modalidades Entidades e Rurais. A assinatura, no Palácio do Planalto, vai beneficiar mais de 100 mil pessoas, incluindo as comunidades quilombolas. A ministra Nilma Lino Gomes participou da cerimônia, ao lado de outras autoridades.

No MCMV Entidades serão cerca de 13 mil imóveis contratados que beneficiarão famílias de 18 estados. Essa modalidade atende famílias com renda mensal de até R$ 1.800 e organizadas de forma associativa por uma Entidade Organizadora – EO (associações, cooperativas e outros), que produzem suas próprias moradias. O programa custeia até 90% do valor do imóvel e o restante é dividido em até dez anos, com parcelas entre R$ 80 e R$ 270.

Na modalidade Rural, serão contratadas 12 mil moradias em zonas rurais por todo o País. Podem ser beneficiados agricultores familiares, trabalhadores rurais e comunidades tradicionais (quilombolas, indígenas, pescadores, extrativistas, etc) com renda familiar anual de até R$ 78 mil.

Segundo a ministra das Cidades, Inês Magalhães, as modalidades atendem “públicos específicos”, como quilombolas, indígenas, agricultores familiares e os trabalhadores urbanos sem moradia . “Dentre as vantagens que nós temos nessa parceria, as pessoas desenham os seus próprios projetos a partir das suas necessidades e dos tamanhos das famílias”, disse em entrevista ao Portal Brasil.