Uma quadrilha especializada no desvio de cargas de cereais em Nova Prata do Iguaçu foi desmantelada pela Polícia Militar, através de uma ação conjunta na madrugada de sexta-feira (12) entre o Serviço Reservado (P2) da Companhia de Dois Vizinhos e policiais dos destacamentos de Nova Prata e Salto do Lontra. Quatro pessoas foram detidas como suspeitas no desvio de cargas: Sergio Lima, 43 anos; Rodnei Severino, 39 anos; Celso Luiz da Silva, 45 anos, naturais de Criciúma (SC) e ainda Nicolas Moreira Medeiros, 20 anos, natural de Guarujá (SP).

Os motoristas trabalhavam associados ao esquema que era liderado pelo empresário de uma cerealista de Nova Prata do Iguaçu, no sudoeste do Estado. Conforme a polícia, o empresário recebia parte do valor da carga. Para justificar que a carga não chegava ao destino final, os motoristas simulavam roubos e mediante boletins de ocorrências de falsa comunicação de crimes justificavam com facilidade o sumiço, explica um policial do Serviço Reservado (P2).

Valdecir Savenhago ou "Nico Savenhago", é procurado pela polícia.
  • Compartilhe no Facebook

Valdecir Savenhago ou “Nico Savenhago”, é procurado pela polícia.

Um dos sócios da cerealista em Nova Prata do Iguaçu, identificado como Valdecir Savenhago ou “Nico Savenhago”, conseguiu fugir da abordagem e é considerado foragido da justiça. Era ele quem coordenava a descarga dos produtos furtados. Além das pessoas detidas, a polícia apreendeu na cerealista dois caminhões: Um com placas de Tubarão (SC) carregado com 1/4 da carga de aproximadamente 28 toneladas de soja, tendo como responsável Sergio Lima, e outro modelo Iveco com placas de Guarujá (SP) que era dirigido por Celso Luiz da Silva. Esse último havia acabado de fazer a descarga de uma carga desviada.

Também foi apreendido um veículo Ford Fiesta, com placas de Criciúma (SC) de propriedade de Rodnei Severino, que seria o batedor das cargas e no escritório da empresa foi encontrado um revólver calibre 38 municiado e não registrado. Além foram recuperadas 56 toneladas de grãos (soja) desviados de cerealistas, uma em Castro (PR) e outra em Dourados (MS).

Os envolvidos devem responder por furto qualificado, fraude, associação criminosa (formação de quadrilha) e receptação qualificada. “Essa prisão é resultado do trabalho de inteligência da Polícia Militar e agora, junto com a Polícia Civil, será dado continuidade para chegar a outras pessoas supostamente envolvidas nesse esquema criminoso”, garantem os policiais do Serviço Reservado (P2).

Fotos: Polícia Militar