Foto: Arte Diário Catarinense / Agência RBS
  • Compartilhe no Facebook

Foto: Arte Diário Catarinense / Agência RBS

O projeto para privatização das BR-282/153 e 476 entre Oeste de Santa Catarina e o Estado do Paraná está sob análise do Ministério Público Federal e do Tribunal de Contas da União, após uma série de irregularidades serem constatadas no processo. Segundo a recomendação da Procuradoria do MPF de Chapecó, todo o trâmite está suspenso, até que as denúncias de vícios no contrato sejam esclarecidas.

O Ministério Público afirma que há divergências nos dados relativos ao fluxo de veículos e questiona os valores apontados, a possibilidade de cobrança do pedágio com apenas 10% das obras concluídas e a definição do trecho a ser concessionado. Os locais das seis praças de pedágio e os valores já estão definidos.

O estudo elaborado pela J. Malucelli Construtora de Obras S.A. passa por avaliação do Tribunal de Contas da União (TCU) e vai nortear a empresa vencedora do leilão do trecho nas obras, inclusive sobre os valores repassados pelo governo federal. O leilão está previsto para o próximo mês. A empresa que oferecer o menor valor, será a ganhadora.