Representantes das administrações municipais e empresários de Capanema e Planalto (na região sudoeste do Paraná) e Comandante Andresito (província de Misiones, Argentina) prestigiaram o lançamento do projeto Fronteiras Cooperativas. A solenidade aconteceu na Casa da Amizade do Rotary Club de Capanema, com a apresentação das estratégias para desenvolvimento dos pequenos negócios no Território da Fronteira – núcleo Capanema. Barracão e Santo Antonio do Sudoeste são os outros dois núcleos.

A cerimônia contou com a presença de Mirza Katchan, representante da Câmara de Conselho Deliberante de Comandante Andresito e dos prefeitos de Planalto, Inácio Werle, e de Capanema, Américo Bellé. Representando o Sebrae/PR, o diretor-superintendente Vitor Roberto Tioqueta e o novo gerente da regional Sul, Cesar Giovani Colini Gonçalves. Também estiveram presentes os deputados estaduais Guto Silva, Nelson Luersen e Luís Raimundo Corti e o presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo.

Na primeira etapa, o Sebrae Nacional e o Sebrae/PR convidaram 35 pessoas da região transfronteiriça para participar do Programa Sebrae de Liderança – Escola de Desenvolvimento de Líderes e de formações complementares. A capacitação, definida em cinco módulos, será concluída no final de junho.

Autoridades acompanharam o vento em Capanema. Foto de divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Autoridades acompanharam o vento em Capanema. Foto de divulgação

A iniciativa tem a parceria das Prefeituras de Capanema e Planalto e da Intendência de Comandante Andresito (província de Misiones, Argentina), das associações empresariais de Capanema (Acec) e Planalto (Acep), Sebrae/PR, Sistema Fiep – Senai, Instituto Federal do Paraná (IFPR) – Campus Capanema e Associação Comunitária Santa Ana.

O diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, relatou que, inicialmente, será realizada a preparação de líderes no território. “Depois da capacitação dos líderes, vamos buscar a integração, de fato, com projetos alinhados. Serão ações para fortalecer a economia. O desenvolvimento só acontecerá se tirarmos algumas barreiras e buscarmos vantagens para brasileiros e argentinos”, explicou o diretor.

Tioqueta apontou que um dos diferenciais do projeto está em dar protagonismo aos atores locais. “O importante é que as ideias sejam constituídas pelos habitantes da fronteira. Essas pessoas é que sabem da realidade da região. A fronteira não deve ser o início ou o fim do território, mas o meio do desenvolvimento entre Brasil e Argentina”, completou o diretor-superintendente do Sebrae/PR.

Na apresentação do projeto, o presidente da Fiep, Edson Campagnolo, que é de Capanema, ressaltou a oportunidade de mobilizar para a cooperação, lembrando que Brasil e Argentina contam com novos governos. “É necessário quebrar barreiras de fato, para chegar à integração. Talvez até com a criação de empresas binacionais”, sugeriu Campagnolo.

Foco nas pessoas

Guto Silva, deputado estadual que representou a Assembleia Legislativa do Paraná no evento, lembrou do início do projeto Fronteiras Cooperativas na região de Barracão e Bernardo de Irigoyen, quando foi consultor credenciado do Sebrae/PR, anos atrás.

O deputado declarou que não se deve olhar para a fronteira do Brasil com a Argentina com o viés da aduana. “Precisamos estar atentos para as pessoas que residem na região. O argumento de ir e vir é importante, mas o bem-estar das pessoas que vivem na fronteira tem que ser o objetivo maior”, ratificou Guto.

Perspectiva argentina

Sergio Conde, diretor geral de Integração da província de Misiones, na Argentina, foi o representante oficial do país vizinho. E destacou o trabalho do Sebrae/PR.

“Nós, do Ministério de Ação Cooperativa, Mutual, Comércio e Integração da província de Misiones, temos trabalhado há muitos anos com o Sebrae/PR no projeto Fronteiras Cooperativas. Já sabemos do valor da metodologia e como pode contribuir para a geração de capital social no ambiente de fronteira”, avaliou.

O representante argentino valorizou o fato de que as propostas de mudança virão dos próprios integrantes da região. “A partir daí, nós, do setor público, poderemos contribuir para as soluções e buscar os recursos necessários para a concretização dos projetos”.

Conde disse ainda que a integração pode ser alcançada com mudanças de gestão. “Nem tudo requer recursos econômicos. Certas decisões podem fazer a diferença”, completo.

Os municípios

Na cerimônia, as administrações municipais de Capanema, Planalto e Comandante Andresito foram representadas pelo prefeito de Capanema, Américo Bellé.

“Nossa expectativa é a melhor possível. O Sebrae/PR nos convidou a participar do projeto e aceitamos, de braços abertos. Com os 35 líderes que estão sendo capacitados, acredito que os projetos que vão surgir serão de grande valia para diversos setores produtivos dos três municípios”, apostou.

Segundo Bellé, o Fronteiras Cooperativas veio para elevar a autoestima dos empreendedores da região. “Com isso, teremos novos negócios, aumento de postos de trabalho e da geração de renda. A vinda do Sebrae/PR para Capanema, Planalto e Comandante Andresito só trará benefícios”, concluiu o prefeito.