O projeto do Complexo Eólico Palmas II, entrará em discussão na Assembleia Legislativa do Paraná a partir da próxima semana. O Governo do Estado encaminhará projeto de lei propondo a aprovação para construção do empreendimento energético, que deverá ser instalado nos Campos de Palmas, na região Sul paranaense. A informação foi confirmada pelo IAP (Instituto Ambiental do Paraná) à Rádio Club/RBJ nesta sexta-feira (28).

No Paraná, além dos licenciamentos ambientais, os empreendimentos energéticos dependem de autorização do Poder Legislativo.  Em dezembro de 2018, a empresa Enerbios, idealizadora do projeto, obteve a Licença Prévia (LP), emitida pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) para a implantação do Complexo Eólico.

O novo complexo será instalado no lado paranaense da PRC-280 e ficará junto ao Complexo Palmas I, instalado no final da década de 1990 pela Copel, em frente aos parques de Água Doce, no Estado de Santa Catarina.

Ao todo o empreendimento terá oito parques eólicos – Campo Alegre, Pederneiras, Santa Cruz, Santa Maria, São Francisco, Taipinha, Tradição e Tradição Piloto – que deverão estar  interligados à subestação de Palmas, através de linha de transmissão de 28 quilômetros, com traçado  previsto para faixa de domínio da PRC-280.

A estimativa dos investidores é que durante a fase de implantação deverão ser gerados até 500 postos de trabalho diretos, entre as mais diversas funções e formações, onde pretende-se priorizar a contratação de mão de obra local. Posteriormente, para a operação e manutenção serão pelo menos 25 postos de trabalho fixos. Os investimento deverão superar R$ 1,8 bilhão.

Além do projeto palmense, outros 18 empreendimentos de geração de energia também entrarão na Assembleia. São 14 Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGH) e duas Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH), que deverão ser construídos nos municípios de Palmeira, Cascavel, Honório Serpa, Clevelândia, Francisco Beltrão, Boa Ventura do São Roque, Pitanga, Santo Antônio do Sudoeste, Nova Tebas, Palmas, Tibagi, Rio Branco do Sul, Renascença, Toledo, Nova Aurora e Marechal Cândido Rondon. Há ainda duas termelétricas, que serão implantadas em Jacarezinho e Pitanga.