A luta pela consolidação do Aeroporto Regional do Sudoeste, agora denominado de Aeroporto Regional Interestadual, teve um capítulo importante na sexta-feira, dia 28 de Abril. O projeto ganhou apoio de prefeitos das regiões extremo e noroeste do Estado de Santa Catarina. A reunião que oficializou a adesão ao projeto aconteceu na Câmara de Vereadores de Campo Erê (SC), cidade que fica distante cerca de 20 Km, em linha reta, de Renascença, município onde será construído o aeroporto.

Para o vice-prefeito de Francisco Beltrão, Antônio Pedron (PSC) a discussão ganha consistência, isso por que a adesão dos prefeitos catarinenses também trará o apoio de Deputado Federais e Senadores daquele Estado, que devem se juntar as lideranças do Sudoeste do Paraná nessa luta. Em entrevista à Onda Sul FM, Pedron revelou que em breve um a nova reunião será realizada em Francisco Beltrão, com a presença de representantes políticos dos municípios do Sudoeste, bem como das entidades que estão financiando o projeto, como é o caso do Banco do Brasil.

O presidente da Amsop – Associação dos Municípios do Sudoeste, Frank Schiavinni, também ficou motivado com a adesão dos prefeitos de Santa Catarina. Gestor revelou que esse foi com certeza mais um passo importante na consolidação do projeto, idealizado pela entidade municipalista a cerca de 10 anos.

Grande entusiasta da aviação, o empresário de Francisco Beltrão Edson Flessak também participou do encontro em Campo Erê (SC). Na ocasião, apresentou um estudo de viabilidade do Aeroporto Regional. Flessak fez questão de destacar que o Aeroporto regional não pode ser visto apenas como um local para transportar passageiros, mas sim como uma oportunidade para fazer o transporte de cargas, visto que sua localização é privilegiada para isso. Alguns voos internacionais, segundo ele, tem uma duração menor se a escala for feita no Aeroporto Regional do Sudoeste, ao invés de Guarulhos, em São Paulo. Para reforçar essa tese, Flessak fez questão de convidar o arquiteto André Silvestre, responsável pelo estudo técnico do Aeroporto Regional.

Durante entrevista à Onda Sul FM, Silvestre diz que ficou muito contente pela oportunidade de poder retornar à região para falar sobre seu estudo e, muito mais feliz, quando soube que a ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil levou seu estudo em consideração, mesmo depois de quase 10 anos. Questionado se o Aeroporto Regional vai oferecer a melhor estrutura da região Sul do País, declarou que será um aeroporto novo, sem os tradicionais vícios da aviação brasileira.

A adesão dos prefeitos de Santa Catarina foi uma iniciativa do prefeito de Campo Erê, Odilson Lima. Conforme ele, é hora de deixar o bairrismo de lado e lutar por causas que realmente promovam o desenvolvimento da região, referindo-se ao Sudoeste do Paraná e Extremo Oeste de Santa Catarina. Elogiou a postura do prefeito Cleber Fontana, de Francisco Beltrão, que abriu mão do aeroporto do município por essa causa regional.

O prefeito ainda fez questão de afirmar que senadores e deputados federais de Santa Catarina serão intimados a buscar apoio para consolidação desse projeto. Também descartou que o Aeroporto de Chapecó (SC) possa ser utilizado como válvula de escape dos parlamentares para não apoiar o projeto interestadual. “Eles precisam entender que Campo Erê está a cerca de 200 quilômetros de Chapecó e apenas 20, em linha reta, de Renascença, o que nos favorece muito. Vamos conversar entre os prefeitos e pedir que nos apoiem e, se eles têm amor por esses municípios da região do Extremo Oeste vão entender nossa necessidade”, disse.

Fotos: Evandro Carlos Artuzi/RBJ