Foto: Assessoria.
  • Compartilhe no Facebook

Foto: Assessoria.

Desde 2010, Chopinzinho colocou em prática uma estrutura capaz de auxiliar todos os produtores de leite, oportunizando a realização de exames pelos médicos veterinários da Prefeitura, com consequente redução de custo para o produtor. No primeiro trimestre de 2017, foram mais 2255 exames realizados e 450 bezerras vacinadas.  Os exames diagnosticam zoonoses, como a brucelose e a tuberculose. Hoje 99% das propriedades de produtores de leite do Município são atendidos pela Prefeitura.

Portarias do Ministério da Agricultura e da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná – ADAPAR tornam obrigatório, no mínimo uma vez ao ano, exame dos animais. Com médicos veterinários do setor privado, hoje, o custo do exame varia entre R$ 20,00 e R$ 30,00, por animal. Pela Administração Municipal, o valor cai para R$ 8,00, já que os profissionais, quilometragem e manutenção dos veículos são custeados pela Prefeitura. “Temos o privilégio de oferecer para nossos produtores uma condição diferenciada nos serviços. Deste modo, a Administração Municipal fortalece a cadeia produtiva do leite” explica o Prefeito Álvaro Scolaro.

Este valor de R$ 8,00 é pago pelo produtor, sendo que através de parcerias com os laticínios, os produtores autorizam a fazer o desconto na conta-leite, diretamente onde faz a sua venda. No final do mês, são contabilizados os exames realizados e descontados os valores.  “Esta parceria significa inadimplência zero, reduzindo o custo para o Município. O valor corresponde apenas do custo do material utilizado para fazer o exame”, afirma o Coordenador dos trabalhos veterinários, Idevaldo Peretti. Além disso, é feita a vacinação obrigatória de toda a bezerra fêmea, de raça leiteira, entre 3 até 8 meses de idade, de forma gratuita para o produtor.

Foto: Assessoria.
  • Compartilhe no Facebook

Foto: Assessoria.

Para 2017, além de vacinação e de exames de brucelose e tuberculose, a Prefeitura ampliou os serviços prestados pelos médicos veterinários. “Desde o início do ano, os veterinários passaram a assistir os rebanhos dos produtores. Eles estão dando orientação em manejo de pastagem, reprodução, bem-estar e sanidade animal, complementando o serviço prestado pela Prefeitura”, explica o Secretário de Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente, Everton Salomão.

Hoje são atendidos cerca de 900 produtores, somando 15 mil vacas leiteiras e produção de 65 milhões de litros de leite por ano. O atendimento é feito através da pasta, e conta com 05 veterinários, um deles dedicado à inspeção Municipal.

Exames impactam na saúde animal, dos consumidores e produtores

A obrigatoriedade dos exames não é em vão. Estas zoonoses trazem consequências tanto para o animal, quanto para a saúde dos consumidores e produtores. No animal, interfere na saúde e na questão reprodutiva. Já para o ser humano, as consequências podem ser mais graves, e a transmissão é fácil.

Os exames nos bovinos leiteiros são feitos em duas etapas. No primeiro dia, o veterinário faz a raspagem do pelo e aplica a tuberculina, para o exame de tuberculose. Depois de 72 horas, volta-se para ver medição da pele do animal, verificando se houve ou não reação. O animal que reagiu passa por novo exame em 60 dias. Neste mesmo dia, há coleta de sangue para exame de brucelose. A Prefeitura conta com laboratórios próprios do Programa de Sanidade Animal para fazer análise do sangue. Quando se apresenta alguma alteração, o material é enviado para novo exame em Curitiba. Quando confirmadas a presença de alguma zoonose, os animais contaminados são segregados dos demais e sacrificados.

A realização dos exames, com baixo custo ao produtor, impacta positivamente no Município. “Se cada produtor tivesse que procurar um veterinário particular, muitos seriam excluídos do processo de forma mais rápida, devido ao recurso empenhado. Também, por serem em sua maioria pequenos produtores e poucos animais, nem sempre teriam veterinários interessados em atendê-los”, conclui Peretti, ressaltando a importância do Programa para Chopinzinho.