Os professores e funcionários da rede estadual de ensino do Paraná decidiram manter a greve da categoria, que completa 24 dias nesta quarta-feira (4). Reunidos em assembleia geral no Estádio Durival de Britto, popular Vila Capanema, em Curitiba, ele iniciaram a votação por volta das 09h30. De acordo com o presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, a greve deverá continuar por tempo indeterminado “por causa do impasse com o governo, que fechou as portas para a negociação”. Está programada uma passeata até o Centro Cívico ainda nesta quarta-feira.

A principal reivindicação é o pagamento das promoções e progressões de carreira, que estão atrasados. Professores e Governo já se reuniram por três vezes para a tentativa de um acordo, que apesar de avanços, ainda não houve consenso.

No último final de semana, a Justiça concedeu uma liminar e determinou que os professores do terceiro ano do Ensino Médio retomassem as atividades. A decisão estipulou multa diária de R$ 10 mil e foi imposta pelo juiz de plantão do estado, Victor Martin Bapschke. No despacho, o juiz justificou que “há risco evidente e irreparável a ausência do conteúdo para os fins do concurso vestibular, provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e recomposição do calendário escolar”. Cerca de 950 mil alunos seguem sem aulas desde o dia 09 de fevereiro, data prevista para o inicio do ano letivo.