Por determinação judicial exarada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (Porto Alegre), foi deferido o pedido de efeito suspensivo requerido pela Advocacia Geral da União por meio do Agravo de Instrumento (AI).O agravo de instrumento ataca a decisão que deferiu em parte a antecipação de tutela proferida em liminar resultante da Ação Civil Pública de autoria do Sindiedutec.

O pedido de efeito suspensivo tem como resultado imediato o retorno do reitor do IFPR, professor Irineu Mário Colombo, ao mandato. A Procuradoria Federal junto ao IFPR vai continuar acompanhando o processo até final decisão.

A suspensão do mandato a partir de 01 de maio foi assinada pelo juiz federal sustitututo, Cláudio Roberto da Silva. Pela mesma decisão, determinava a imediata convocação do processo eleitoral para Reitor e Diretores de Campi. Conforme o Sindiedutec, a Justiça Federal havia considerado nulo todos os atos praticados pelo Reitor. 

A ação civil do Sindicato foi movida para garantir a realização de eleições este ano conforme legislação do Instituto. Colombo foi eleito reitor e nomeado pela Presidência da República para o lugar de Alípio Santos Leal Neto, que deixou o cargo para para assumir a secretária de Ciência e Tecnologia do Paraná. Pela lei o atual mandato findaria em meados de 2014. Colombo pretendia permanecer no cargo pelo período de quatro anos, portanto, até meados de 2015.