O município de Chopinzinho se caracteriza como uma das maiores bacias leiteiras do sudoeste do Paraná, com uma estimativa de aproximadamente 70 milhões de litros de leite para este ano, segundo o Departamento de Economia Rural – DERAL, porém nos últimos dias a queda no preço do leite, a falta de mão de obra, pessoas para trabalhar na propriedade e também a onda de informações sobre “ leite adulterado “ está preocupando os produtores do município.

Na propriedade do Senhor Nilo Vetorello, localizada na comunidade de Linha São Bráz, interior de Chopinzinho, localizada a 12 km da cidade onde se trabalha com o leite a mais de 20 anos, o que mais preocupa é a questão de falta de mão de obra.

Veraldo Karling que está na propriedade a aproximadamente 6 anos, diz que o leite é rentável para o grande ou pequeno produtor, mas a falta de pessoas para trabalhar na alimentação do animal e ordenha fez com que a propriedade que já trabalhou com 43 vacas de leite, reduzisse para 17 o numero de animais, “a mão de obra para este tipo de trabalho é muito complicado, as pessoas querem o emprego mas não querem ter o trabalho, não querem ter o compromisso, esta é a dificuldade da propriedade de leite”.

O dono da propriedade Nilo Vetorello que trabalha a mais de 20 anos com a atividade do leite diz que apesar de todos os problemas relacionados com o preço que está defasado, a falta de mão de obra e a situação da qualidade do leite, que nos últimos dias já apareceu na imprensa nacional sobre a adulteração do produto, a atividade do leite ainda é rentável e todos estes problemas são passageiros, “ hoje o que nos salva na agricultura é o leite, um agricultor que tenha uma are pequena de terra ele vai produzir grão e vai vender ele não vai viver o ano inteiro, e com as vacas de leite ele vai vive, vai pagar mercado, vai pagar farmácia e é um salário que tem garantido dentro da propriedade, e não vamos parar de trabalhar com o leite, todos esses problemas são passageiros, sempre foi assim”.

A Secretária Municipal de Agricultura de Chopinzinho vem desenvolvendo vários programas para o auxilio aos produtores de leite do município como o Laboratório de Sanidade Animal, programa de incentivo a produção de pastagem, de melhoramento genético entre outros programas.

Segundo a Secretária de Agricultura do município, Luci Baraldi, “o setor do leite  vem crescendo e está em pleno desenvolvimento, o produtor está investindo a cada dia na qualidade da produção, e nós sabemos que muitos produtores saíram da atividade mas os que permanecem na atividade tem crescido e o volume de produção tem aumentado a cada dia”.

 

Fotos: Edson Zuconelli.