O Departamento de Agricultura, juntamente com a estação do IAPAR de Palmas, realizou na última semana um Dia de Campo sobre produção de amoras. Na oportunidade, produtores rurais do município puderam acompanhar in loco, o modo de trabalho com cultura, que tem Palmas como o maior produtor do sudoeste do Paraná.

Com uma produção média de 20 toneladas, a propriedade da família Giotto foi um dos palcos do encontro, onde o produtor Marco Giotto, falou sobre as potencialidades da cultura. Destacou que a produção média de 1 hectare chega à 8 toneladas da fruta. Conforme ele, pelas limitações da propriedade, já não é possível expandir de forma expressiva a sua produção, por isso a importância de novos produtores também investirem no cultivo de amoras, visto que atualmente, as frutas produzidos em Palmas ganharam os principais mercados do país, como Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina.

Um dos produtores que estão iniciando no ramo das frutas vermelhas é Solano Salvador, que prevê já na sua primeira colheita, mais de 8 toneladas do fruto. Explicou que procurou na produção de amoras uma diversificação da sua propriedade, agregado à um baixo custo, pouco mão de obra e um alto valor de mercado para o produto.

Para o coordenador da estação do IAPAR de Palmas, Wilson Schveiczrski, o programa a ser desenvolvido em Palmas deverá se tornar destaque no Estado, pois aumentará em quase 50% a área de plantação de amoras, que atualmente é de 77 hectares em todo o Paraná. Destaca que Palmas tem as melhores condições climáticas do país para a produção da fruta, podendo tornar-se em pouco tempo, um dos principais mercados exportadores da fruta.

O diretor do Departamento de Agricultura, Edson Cassaniga, explicou que num primeiro momento serão selecionados 30 produtores, que receberão 350 mudas cada. A partir daí, todos passarão por treinamentos e instruções por uma equipe formada por técnicos do Iapar e Departamento municipal, para que o número de plantas possa chegar a 3,5 mil, o equivalente a 1 hectare, com expectativa de que a partir de outubro do próximo ano, inicie a primeira colheita de amoras desses novos produtores.