Reunidos para discutir a proposta do governo do Estado de privatização ou concessão da PRC 280, rodovia que corta do Sudoeste do Paraná, empresários e lideranças de Pato Branco manifestaram intenção de transferir da próxima semana para 2017 as audiências públicas que tratará do tema com a população do Sudoeste do Paraná. Além disso, apresentaram sugestão de criação de uma cooperativa para concorrer no processo de privatização do trecho de 280 quilômetros entre os municípios de Realeza e Palmas. Outra preocupação é quanto preço inicialmente previsto para a tarifa pedágio nas seis praças, considerado elevado.

Reunidos na Associação Comercial e Empresarial (ACEPB), o grupo justificou a proposta de adiamento das audiências marcadas para os dias 07(Pato Branco) e 08(Francisco Beltrão) pela falta de clareza e entendimento pela sociedade regional sobre as regras da privatização.

Na ocasião, também manifestaram interesse em criar uma cooperativa que buscaria o aporte de capital de empresários da região para participar do processo.  Levantamento preliminar apontou a necessidade de captação de R$ 73 milhões para habilitar grupo participar da concorrência. O próximo passo nesse sentido será solicitar parecer jurídico da viabilidade de constituição da cooperativa.

Quanto preço previsto para cada um das praças de cobrança, o caminhoneiro André Gustavo Prigoli, que dependendo do valor, poderá  inviabilizado o trabalho de muitos setores produtivos na região.