A primavera paranaense deverá ser mais chuvosa e mais quente do que o normal neste ano, conforme previsão de especialistas em clima de seis países, que participaram do 43° Fórum Regional de Perspectivas Climáticas do Centro Regional do Clima para o Sul da América do Sul realizado na sede do Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), em Curitiba, na última semana.

O evento foi organizado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) e Centro Regional do Clima para o Sul da América do Sul, com apoio da Organização Meteorológica Mundial, Simepar e Agência Estadual de Meteorologia da Espanha (AEMET). Participaram representantes dos serviços meteorológicos da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai.

Segundo o meteorologista do Simepar, Cezar Duquia, é provável que o fenômeno climático El Niño se desenvolva durante a primavera com fraca intensidade. As temperaturas superiores à média na subsuperfície do Oceano Pacífico e o aumento contínuo das anomalias dos ventos do Oeste causam alterações nos padrões do tempo. Este trimestre deve ser um pouco mais chuvoso do que a normal climatológica no Paraná.

O histórico de dados climatológicos dos últimos vinte anos demonstra que em outubro costuma chover mais com menor variação espacial dentro de uma mesma microrregião. As regiões que registram chuvas mais expressivas são a Sudoeste e parte do Oeste. Em novembro, as variações inter-regionais são mais frequentes, com chuvas nas regiões Oeste, Sudoeste, Sul e na Serra do Mar em direção ao Litoral.

O Simepar prevê que as temperaturas seguirão a tendência da normalidade para a primavera, mantendo a característica de média a ligeiramente acima da média. Em outubro as massas de ar frio tornam-se mais raras e fracas, com temperaturas aumentando em média de 2 ºC a 3 ºC em relação a setembro. As temperaturas sobem gradativamente a partir de novembro. O final da primavera deve apresentar uma condição climática específica, com elevação do teor térmico (aquecimento) associada à maior ocorrência de chuvas.

De acordo com dados do INMET, em Palmas, no Sul do Paraná, o mês de outubro já registrou temperaturas máximas de 35,4° C, recorde alcançado em 1967. Por outro lado, em 1971 o mesmo mês registrou -1,8º C, a temperatura mais baixa para o período.

  • Compartilhe no Facebook

Tabela com os valores extremos de temperaturas registrados no Paraná para o trimestre setembro-outubro-novembro. Fonte: INMET

A análise do Simepar e o prognóstico de consenso do Fórum Regional de Perspectivas Climáticas consideram as condições oceânicas e atmosféricas globais recentes e previstas. Baseiam-se nos modelos emitidos pelo Centro de Previsões Climáticas da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), Centro Líder da Organização Meteorológica Mundial, Iniciativa Euro-Brasileira para melhorar as previsões sazonais da América do Sul (Eurobrisa), Instituto Internacional para a Pesquisa em Clima e Sociedade, Centro Climático APEC e Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE).