Enquanto vereadores de alguns municípios tiram mais de R$ 5 mil por mês por suas atividades legislativas, em São Mateus do Sul, sul do Paraná, os edis passarão a receber R$ 800,00 de subsídio. A princípio, foi votado e aprovado um projeto que aumentava em mais de 8% os salários dos parlamentares. A população não concordou com a iniciativa e mobilizou-se para impedir o aumento. Na sessão de segunda-feira (31), o projeto foi suspenso e os vereadores elaboraram um requerimento para redução dos salários.

A população participou em massa na sessão, com cartazes demonstrando a insatisfação do povo, que não concorda com o atual salário dos vereadores e, muito menos, com o aumento. Durante a sessão, houve confusão. Depois da pressão popular para tirar o projeto de lei, parte dos vereadores anunciou que colocaria em votação um requerimento para abrir uma comissão para estudar a redução dos salários de vereadores, prefeito, vice e secretários da prefeitura. Por causa das manifestações, a sessão foi suspensa. O presidente queria encerrar de vez as atividades, mas, depois de negociar com líderes do movimento, decidiu antecipar a votação.

A nova proposta reduz os salários dos vereadores de R$ 6.210 para R$ 800; dos secretários, de R$ 6.713,13 para 3 mil; do vice-prefeito, de R$ 6.713,14 para R$ 3 mil; do prefeito, de R$ 21.161,05 para R$ 10 mil. Dos oito vereadores que votam na Câmara Municipal, cinco foram favoráveis e três, contrários.

Os moradores garantem que continuarão fiscalizando os trabalhos da Câmara. Outra iniciativa é realizar um abaixo-assinado e querem, para os próximos dias, elaborar um projeto de lei, de iniciativa popular, propondo salários que, para eles, seriam os adequados para os representantes do povo.