O Ministério Público do Paraná deflagrou na manhã desta quinta-feira (05), a Operação Quinhão, com o cumprimento de três mandados de busca e apreensão em residências de dois vereadores (um deles, atual presidente do Legislativo) e uma assessora da Câmara Municipal de General Carneiro.

Os alvos são investigados por suposta apropriação de salários de servidores contratados pela Câmara. Vários vereadores partilhariam os valores exigidos dos funcionários.

Em nota, o atual presidente do Legislativo carneirense, Ivo Henrique Gaiovicz, defendeu-se, afirmando não ter conhecimento sobre a denúncia e “sob hipótese alguma recebeu valores ilícitos no exercício do mandato”:

Tendo em vista os recentes fatos envolvendo servidores e membros do Legislativo do Município de Gal Carneiro, que vem sendo ventilados sobre minha pessoa, tenho a informar que ainda não tive acesso aos autos e a eventual denúncia, uma vez que não fui notificado, tendo o conhecimento apenas através da imprensa. Portanto, não posso tecer qualquer comentário, visto que não possuo o conhecimento das acusações.

Afirmo ainda, que sob hipótese alguma recebi qualquer valor ilícito no exercício do meu mandato, de forma que os cidadãos de bem sabem a respeito da minha seriedade e conduta.

Digo, ainda, que todos os atos que pratiquei a frente da Câmara de General Carneiro sempre buscaram a transparência, a moralidade, a eficiência e a defesa do interesse público.

Assim, que possuirmos o acesso completo ao conteúdo dos autos exerceremos nosso direito de defesa e aguardaremos confiantes, que a justiça seja feita.