Em seu retorno à função, após viagem à Europa,  o Presidente do Legislativo de Palmas, sul do Paraná,  Rafael Bosco(DEM), disse estar chateado com a postura do Executivo em relação ao envio de Projetos de Leis para votação, referindo-se as matérias de pedido de suplementação orçamentária de R$ 14, 5 milhões de reais.

Inicialmente explicou que sua viagem havia sido programa antes mesmo de ocupar a função pública e que, mesmo de longe, acompanhou a forma como os trabalhos foram realizados pela Casa que colocou em votação projetos fundamentais, sem que houvesse uma ampla discussão. “O Poder Legislativo deve ter uniformidade. Não podemos arcar com responsabilidades do Executivo”, disse o presidente.

Na sua avaliação faltou planejamento do Executivo em relação ao aumento dos gastos, o que lhe exigiu pedido de suplementação orçamentária. Também criticou a postura dos ex e atual prefeito, que não fizeram a transição para organizar diversas questões como, por exemplo, as orçamentárias. Em relação ao atual governo, Bosco disse que infelizmente o modo de pensar do prefeito, ao qual apoiou nas eleições de 2016,  não se enquadrada na legislação do município. “Gostaria que nas matérias enviadas à Câmara contivesse explicações do porque houve alteração e aumento de salários e justificado estes aumentos”, disse ele.

Ressalvou, entretanto, que o fato de estar chateado não influenciará seu voto nas duas matérias orçamentárias que  irão a votação em segundo turno na noite de hoje(25). “Não podemos votar a toque de caixa, o que não pode ser votado desta forma”, disse ele.

Defendeu que haja uma simbiose entre os Poderes e  atribuiu ao Executivo a criação de empecilhos em torno de seus projetos como presidente do Legislativo, tais como, concurso público e a instalação da web tv para transmissão dos trabalhos, serviço que não colocou em prática pensando na população, que poderia avaliar como não prioritário. “ Pedimos apoio ao Executivo para a realização do nosso concurso e até agora não obtivemos resposta. Até onde vai a preocupação do Executivo com o Legislativo e com Palmas”, argumentou. Ouça as manifestações ao repórter Alencar Pereira.