A abertura oficial da Via Tecnológica acontecerá na noite da próxima terça-feira, dia 16, porém, as atividades coma reunião do Conselho Estadual do Leite e palestras iniciam já pela tarde. Nos outros três dias, o evento terá seminários com produtores, estações tecnológicas, palestras, mostra de insumos, máquinas e equipamentos e exposição e julgamento de gado leiteiro.

Neste ano, uma das novidades será o a exposição de novilhas de produtores que participam do PIA (Programa de Inseminação Artificial) em Francisco Beltrão, que serão julgadas e premiadas, mas não serão ranqueadas. O Sudoeste desponta atualmente como a maior região produtora de leite do estado, com cerca de R$ 1 milhão de litros por ano, segundo o Departamento de Economia Rural da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento.

Para a secretária municipal de Desenvolvimento Rural de Francisco Beltrão, Daniela Celuppi, a Via do Leite é uma oportunidade de melhorar aspectos deficitários da produção leiteira, como a sanidade e a assistência técnica. “As propriedades avançaram muito em tecnologia, até pelo acesso facilitado a linhas de financiamento, mas o que precisamos agora é melhorar a qualidade, pensando não só em produzir mais, mas melhor, garantindo a sanidade dos animais e assistência técnica aos produtores”, diz.

Durante o evento, a Secretaria lançará o programa municipal para realização de exames de tuberculose e brucelose em 55 mil animais, todo o rebanho bovino do município, em um investimento de mais de R$ 522 mil.

A Via Tecnológica do Leite é promovida pela Prefeitura de Beltrão, Seab, Emater, Governo do Estado, Cresol e Rural Leite e tem como parceiros o Senar, Faep, Sindicato Rural, Sociedade Rural, Colégio Agrícola, Núcleo dos Médicos Veterinários, Aeafb, Acefb, Jersey Paraná e Associação Paranaense dos Criadores de Bovinos Holandeses. O patrocínio máster é da Coasul, os oficiais do Banco do Brasil, Governo Federal e Cresol, com apoio do Sicredi.