Mulheres vítimas de violência doméstica terão um espaço exclusivo de atendimento e denúncias em Francisco Beltrão. O prefeito Antonio Cantelmo Neto confirmou nesta terça-feira (29) que o governo municipal já providenciou um local para a instalação da Delegacia da Mulher, autorizada no município em março pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp).

O local foi visitado e escolhido pelo prefeito Neto em conjunto com o delegado chefe da 19ª Subdivisão Policial, dr. Valderes Scalco, e fica na área central da cidade. “A Delegacia da Mulher é um serviço novo e muito importante do ponto de vista do atendimento especializado às mulheres vítimas de uma série de violências e abusos e mesmo sendo estadual, temos a obrigação moral de propiciar seu bom funcionamento em Beltrão”, afirmou Neto durante a visita.

O aluguel do espaço será pago pela Prefeitura e toda operacionalização do local virá da Sesp. Agora, o governo municipal fará o encaminhamento burocrático para a locação do espaço, que nas próximas semanas deve receber equipamentos e pessoal e começar a funcionar.

A Delegacia da Mulher dará será especializada no atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica e dará rapidez aos inquéritos policiais relacionados ao assunto. O secretário de Administração, Saudi Mensor, e o assessor administrativo, Adams Brizola, também acompanharam a vistoria ao local.

A Delegacia da Mulher de Francisco Beltrão estará sob responsabilidade da delegada Emanuelle Carolina Baggio, que já está atendendo há meses na 19ª SDP. Ela será auxiliada por investigadoras e escrivãs. O objetivo da delegacia é resolver os casos envolvendo mulheres vítimas de qualquer tipo de violência.

Recentemente, em entrevista à Rádio Onda Sul FM, a delegada Emanuelle declarou que a demanda é grande em Francisco Beltrão. “Diariamente muitas mulheres sofreram todos os tipos de agressão, porém a grande maioria não procura seus direitos com medo de represálias ou por vergonha de ser atendida por um homem nas delegacias, por isso com uma estrutura atendida por mulheres as vítimas terão mais confiança”, explicou.