Durante uma reunião deliberativa da Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná), realizada nesta quinta-feira (10), os prefeitos assinaram um pedido da instituição para que o senador Roberto Requião retire um requerimento que atrasa a tramitação do projeto de lei que cria a Estrada-Parque Caminho do Colono.

O senador quer que o projeto tramite por uma quarta comissão no Senado. É tradicional no Congresso Nacional que os projetos sejam apreciados por três comissões. Como ocorreu quando o Projeto de Lei 7.123/2010, de autoria do deputado federal Assis do Couto, foi aprovado na Câmara dos Deputados.

No Senado, o Projeto recebeu o número de 061/2013 e ainda aguarda indicação de relator pelo presidente da primeira comissão das três que deve tramitar, a Comissão de Serviços e Infraestrutura.

Na semana passada, uma comitiva de prefeitos e lideranças regionais, acompanhados de deputados que compõe a Bancada Federal Paranaense, participaram de uma série de reuniões em Brasília para discutir o projeto. Em uma delas, a comitiva apresentou o projeto ao vice-presidente da República, Michel Temer, responsável pela articulação política do Executivo com os demais poderes. Temer, de imediato, conversou com o presidente do Senado, Renan Calheiros, que se comprometeu em dar encaminhamento ao projeto na Casa.

“A possibilidade de termos de volta a nossa estrada é real”, afirmou a prefeita de Capanema, Lindamir Denardin, durante a reunião na Amsop. Ela, que participou das agendas em Brasília, apresentou aos demais prefeitos a situação do projeto e solicitou as assinaturas no pedido de retirada do requerimento. “Quem vai ganhar com isso não é apenas o município de Capanema, mas todos os municípios das regiões Oeste e Sudoeste do Paraná”, acrescentou.

Já o prefeito de Francisco Beltrão, Antônio Cantelmo Neto, que faz parte do mesmo partido do Senador, o PMDB, também se comprometeu em buscar o diálogo com Requião para que ele retire o requerimento ainda neste ano de 2014. “Estamos bastante otimistas que ainda neste segundo semestre vamos aprovar este projeto no Senado”, reiterou o deputado federal Assis do Couto.