O prefeito Hilário Andraschko (PDT) se pronunciou na manhã desta quinta-feira (24) sobre as investigações e o resultado da operação Tiradentes desenvolvido pelo Ministério Público e o GAECO – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado ocorrido na manhã da última terça-feira (22) em Palmas, sul do Paraná.

Na Investigação o GAECO constatou que servidores públicos não seguiam ao trabalho e realizavam serviços particulares em seus consultórios. Sete odontólogos deverão ser denunciados pelos crimes de falsidade ideológica, estelionato e peculato.

Segundo Andraschko a instalação do ponto eletrônico em todos os setores da administração no ano passado foi para se ter controle da presença do funcionário no trabalho sendo assim foi possível detectar falhas “nós não tinham conhecimentos de faltas e sim de pontos que foram batidos fora do local do trabalha” relatou o prefeito.

Com base nessas falhas contou que uma sindicância foi instaurada para apurar possíveis irregularidades no ano passado. Para ele a operação do Gaeco no município só antecipou o que a administração estava apurando.

Durante as investigações o GAECO constatou- se que os dentistas atendiam em seus consultórios particulares nos horários que deveriam estar atendendo no setor público. Um dos odontólogos investigados foi preso em flagrante. Farto material de informática e documentos foram apreendidos junto a Departamentos da Prefeitura e em consultórios odontológicos.

Todo o material apreendido será analisado para que seja comprovado e demostrado por quanto tempo foram cometidos tais crimes e para apurar o prejuízo ocasionado aos cofres públicos. Caso sejam condenados deverão devolver o dinheiro correspondente ao município.