Após assumir o município com sérios problemas financeiros, o prefeito de Bom Jesus (SC),há 67 quilômetros de Palmas, sul do Paraná, Vilmar Sabino da Silva (PPS),se mostrou bastante confiante ao avaliar os primeiros seis meses de governo. Conforme ele, ao assumir o município, a prefeitura se encontrava com uma folha de pagamento inchada, próxima dos 62%.

Para regularizar as contas, Silva destaca que houve diminuição nos quadros de funcionários e redução no número de secretários municipais. Quando assumiu a prefeitura, o município contava com 7 secretários e hoje trabalha com 4. Destaca que a diminuição de repasses das esferas Estadual e Federal, tem tornado a situação dos pequenos municípios cada vez mais complicada, pois segundo Vilmar, ”crescem as despesas e diminuem os repasses”. Cita como exemplo, a liberação de recursos para construção e reforma de unidades de saúde, por parte do Governo Federal ,que “libera os postos de saúde, mas não aumenta o fundo de participação, que é onde se aumenta a receita”.

Destaca que as metas para a prefeitura nesta 2ª metade do ano é diminuir ainda mais os gastos com a folha de pagamento, para assim, poder firmar convênios com os governos Estadual e Federal, algo que ainda não é possível, em virtude dos problemas financeiros enfrentados pelo município. Informou que já há financiamentos liberados na ordem de R$ 1,6 milhão para obras no município.

Conforme Silva, a previsão é de que até o mês de outubro, a situação financeira do município esteja regularizada, para assim as obras entrarem num ritmo mais acelerado.