Após o julgamento de recurso pelo Tribunal Regional Eleitoral que o manteve no cargo, o prefeito de Palmas, sul do Paraná, pregou a união das lideranças políticas em torno de um grande projeto de desenvolvimento para o município. Na última terça-feira(18) o TRE/PR suspendeu a cassação de Hilário Andraschko, imposta pela Justiça Eleitoral da Comarca sob o fundamento de compra de votos nas eleições de 2012.

Segundo colocado nas eleições municipais e empossado em 02 de setembro de 2013, após cassação e afastamento do prefeito eleito, Andraschko enfatizou que Palmas precisa empregar um ritmo novo em sua história. Conforme ele, o município não pode continuar se contentando só com o título de mãe do sudoeste. “Palmas não pode continuar vivendo do passado e sim do presente e do futuro”, exclamou. 

Disse que com a decisão da justiça e a consequente definição do quadro político do município, a administração pretende implantar um novo ritmo de ações e que precisará do apoio de todas as forças políticas do município, como Poder Legislativo, dirigentes partidários e até daqueles que estão pretendem concorrer ao cargo de prefeito nas próximas eleições municipais em 2016.  “O prefeito está disposto a trabalhar”, disse Hilário e voltou defender que se faça um esforço conjunto da sociedade para que os projetos que foram elaborados possam ser concretizados”.

Ao avaliar a nova decisão judicial em seu favor, o prefeito destacou que o resultado ja era esperado. “Sempre acreditamos na justiça e a justiça foi feita. Eu nunca comprei voto”, disse Andraschko. Conforme ele, o surpreendente foi a uninamidade da decisão do pleno do TRE que suspendeu sua cassação por seis votos a zero. Quanto  a novas batalhas jurídicas  no Tribunal Superior Eleitoral, em torno do cargo de prefeito avaliou que, apesar de serem possíveis, dificilmente encontrariam elementos suficientes para alterar o quadro político no município.