por Ivan Cezar Fochzato

 

 

A inflação na construção civil de Palmas, em julho, é 1,02% maior do que a ocorrida em junho. O índice está estabilizado com pequena tendência ao congelamento temporário dos preços. Itens como canos e mão de obra contribuíram para a pequena elevação verificada no período. Os outros preços permaneceram em relativa baixa. Os dados constam da prévia do mês de julho do ICCP( Índice da Construção Civil de Palmas), na pesquisa realizada pelo IFPR campus Palmas.

 

 

Conforme análise dos dados pelo coordenador da pesquisa, professor Edmundo Pozes, provavelmente a permanência de baixos preços deve-se a grande valorização dos terrenos; diminuição do volume de obras; alta de mão de obra especializada, principalmente pedreiro e mestre de obras; diminuição da oferta de cimento; fase de conclusão de obras e não surgimento de outras.

 

Considerou ainda professor Edmundo, que os investidores não estão esperançosos com o aumento da demanda de aluguel e/ou compra dos imóveis. Além disso, o programa Minha Casa, Minha Vida, passou a exigir alguns pré-requisitos de infra estrutura o que tornou inviável muitos investimentos antes previstos.O índice da construção civil é um dos dados que comporá, juntamente com o índice da cesta básica e de serviços, o IGPP (Índice Geral de Preços de Palmas).