A Assembléia Legislativa do Paraná aprovou novo requerimento para que o governo do estado realize a recuperação da rodovia estadual PRC 280  entre Palmas, sul do Paraná e Pato Branco, na região Sudoeste do Estado, num trecho de 80 quilômetros. O requerimento 4869 é de autoria do deputado Nelson Luersen (PDT), recentemente reeleito.

De acordo com o parlamentar a rodovia está intransitável com inúmeros buracos, desníveis e crateras que não oferecem qualquer segurança e condições de dirigibilidade. O requerimento segue agora para o governador Beto Richa e para o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

O trecho reivindicado está sob a responsabilidade do escritório Vale do Chopim. Conforme informou o gerente, engenheiro Marcus Vinicius Talamini,  não há previsão para ampla reforma.  Explicou que o trecho está incluso apenas em um programa de conservação onde são gastos de R$ 30 mil a R$ 40 mil  por quilômetros apenas para um tapa buracos. Conforme Talamini a prioridade é oferecer segurança aos usuários, mesmo que haja desconforto pelos desníveis na pista.

PALMAS A BR 153

Mesmo  em obras desde o mês de julho, Luersen incluiu no seu requerimento a melhoria do trecho de 60 quilômetros da mesma rodovia entre Palmas e o trevo do Horizonte com a BR 153. Nesta parte da rodovia já foram concluídos os serviços de reparos, tapa buracos, reperfilamento da camada asfáltica nos pontos mais críticos e drenagem em oito dos 30 quilômetros previstos. Atualmente as obras estão sendo realizadas entre os trevos da Caingangue e da Codapar/IFPR principais acessos à cidade de Palmas.

Conforme chefe do escritório do DER do Médio Iguaçu, em União da Vitória, engenheiro Fernando Hélio Martins, responsável pelo trecho, a previsão é que as obras continuem até o final do ano pelo atraso dos trabalhos ocasionado pelas fortes chuvas que atingiram a região no final de setembro.

Informou que deverão ser aplicados R$ 15,5 milhões com contratação de serviços de forma emergencial a partir de um decreto do prefeito de Palmas, Hilário Andraschko, pelas péssimas condições de trafegabilidade. Conforme ele, outra empresa também já foi contratada para executar os serviços  de manutenção da rodovia por um período de dois anos.