As máquinas iniciaram na terça-feira a obra de conclusão da ponte da Cango, que desde março estava paralisada. A obra é executada pela Itaúba Incorporações e Terrasanta, que trabalham na construção das cabeceiras da ponte.

A conclusão da ponte só foi possível em virtude da solicitação feita pela Prefeitura ao Paranácidade para ampliação do prazo de execução, da vigência do contrato e da chamada metafísica, que é o espaço. Isso, segundo o secretário de Urbanismo, José Carlos Vieira, em função da falta do projeto de conclusão da obra. “O que estava contratado, era somente a ponte em si, não havia um projeto de como seria o acesso e as cabeceiras”, diz.

A obra que está em execução visa somente por em funcionamento a ponte para o trânsito de pessoas e veículos de maneira segura. Futuramente, a intenção da Prefeitura é de indenizar quatro terrenos próximos e fazer uma espécie de trevo para o acesso à ponte e fluidez do trânsito que liga os bairros Cango e Presidente Kennedy.