Em mais uma operação de combate a crimes ambientais na fronteira, a Polícia Federal de Foz do Iguaçu em conjunto com o ICMbio e a Força Nacional de Segurança, localizou um criadouro clandestino de aves em Capanema, na fronteira Sudoeste do Paraná com a Argentina. O flagrante aconteceu em uma propriedade rural no Distrito de Alto Faraday.

No local foram encontradas mais de 300 aves, todas apresentando indícios de maus tratos, inclusive algumas mortas. Ao perceber a movimentação da polícia, o responsável pela aves fugiu do local. Entre as aves, foram encontrados 10 pássaros silvestres de espécies ameaçadas de extinção e outras 300 aves de espécies exóticas, que estavam sendo criadas para fins comerciais sem os devidos cuidados sanitários, além de estarem alojados de forma precária.

Também foram encontradas aproximadamente 60 gaiolas e armadilhas para captura de pássaros, todas apreendidas. O responsável pela propriedade foi multado pelo ICMbio em R$ 45 mil e também a Adapar aplicou multa pela falta de condições signatárias do criatório.

As aves silvestres apreendidas no local (Pintasilgos, Cadeais e Azulões) foram encaminhados ao Zoológico da Unisep. Já as aves exóticas ficaram sob responsabilidade da Polícia Ambiental. Além das multas, o responsável pela propriedade vai responder pelos crimes de Mus tratos e tráfico de animais.

Imagens: Polícia Federal 

Em mais uma operação de combate a crimes ambientais na fronteira, a Polícia Federal de Foz do Iguaçu em conjunto com o ICMbio e a Força Nacional de Segurança, localizou um criadouro clandestino de aves em Capanema, na fronteira Sudoeste do Paraná com a Argentina. O flagrante aconteceu em uma propriedade rural no Distrito de Alto Faraday.No local foram encontradas mais de 300 aves, todas apresentando indícios de maus tratos, inclusive algumas mortas. Ao perceber a movimentação da polícia, o responsável pela aves fugiu do local. Entre as aves, foram encontrados 10 pássaros silvestres de espécies ameaçadas de extinção e outras 300 aves de espécies exóticas, que estavam sendo criadas para fins comerciais sem os devidos cuidados sanitários, além de estarem alojados de forma precária.Também foram encontradas aproximadamente 60 gaiolas e armadilhas para captura de pássaros, todas apreendidas. O responsável pela propriedade foi multado pelo ICMbio em R$ 45 mil e também a Adapar aplicou multa pela falta de condições signatárias do criatório.As aves silvestres apreendidas no local (Pintasilgos, Cadeais e Azulões) foram encaminhados ao Zoológico da Unisep. Já as aves exóticas ficaram sob responsabilidade da Polícia Ambiental. Além das multas, o responsável pela propriedade vai responder pelos crimes de Mus tratos e tráfico de animais. Imagens: Polícia Federal

Posted by Extra 107 on Tuesday, March 12, 2019