por Ivan Cezar Fochzato

 

Na noite da última sexta-feira (13), Polícia Civil e Copel confirmaram uma denúncia de furto de energia. Momentos antes da realização de um baile no CTG foi constatado que os equipamentos d o grupo contratado para o evento estavam ligados diretamente na rede de energia e não passavam por qualquer medidor, configurando-se o furto, conhecido popularmente por “gato”.

Diante da constatação, foram encaminhados para a delegacia de polícia, todos os acusados de envolvimento direto na situação. O patrão do CTG,o promotor do evento e ainda o responsável pelo grupo musical, pagaram fiança de cinco salários mínimos cada e foram liberados.

 

Como já havia um grande número de ingressos vendidos, o delegado de Polícia, Rodrigo Silva de Souza e técnicos da Copel autorizaram a realização do evento, entretanto, com a utilização correta de energia.O delegado comentou sobre o novo caso de furto de energia em Palmas, onde os acusados foram enquandrados 155  que caracteriza op furto.

 
O patrão do CTG, Lauro Percise,  explicou hoje(16) pela manhã  que há um contrato de aluguel do espaço para a realização do evento, com a empresa de promoções e que não tinha qualquer conhecimento sobre a forma como foram ligados os equipamentos. ” Eu estava em casa e só tomei conhecimento da situação irregular, quando fui chamado para ir até o CTG, por constatação do gato”, disse Percisi.  
 
 
O Patrão do CTG disse que espera que o responsável pela ligação da energia de forma ilícita  seja identificado e que assuma todas as responsabilidades pela situação.
 
 
O delegado de Polícia de Palmas, Rodrigo Silva de Souza, falou ao reporter Alencar Pereira, da Club AM,  sobre esta ação policial que constatou mais um caso de furto de energia na cidade.Clique áudio.