por Alencar Pereira

 

No mês de julho desse ano, ocorreu um latrocínio (roubo seguido de morte) no município de Abelardo Luz, SC. A vítima Claudino Gandini, 59, foi morto a golpes de faca dentro de seu estabelecimento comercial, uma frutaria, que fica as margens da SC 467.

 

No local do crime, a polícia observou que havia sinais de luta e resistência por parte da vítima, além de terem ficado vestígios importantes no local do crime, como pegadas feitas pelo autor e a arma utilizada para o crime.

 

Através do trabalho de investigação a Polícia Civil de Abelardo Luz, coordenada pelo delegado Gustavo Oliveira Altemar, localizou e prendeu em flagrante em sua residência autor do fato, trata-se de Olimpio Abel Antunes.

 

width=125
  • Compartilhe no Facebook

Na delegacia, comprovou-se que o tênis utilizado por Olimpio possuía um solado idêntico a pegada deixada no local do crime, além de existir vestígios de sangue e sinais que havia sido lavado recentemente. Indagado sobre o sangue constante no tênis, Olimpio disse que era de um animal, porém após ser submetido a perícia comprovou-se que trata-se de sangue humano.

width=120
  • Compartilhe no Facebook
                                 
width=125
  • Compartilhe no Facebook
                                                                                                                                                                    

 

O sangue encontrado no tênis de Olimpio Abel Antunes foi encaminhado para a perícia para ser comparado com o DNA da vítima. O resultado do exame chegou no início dessa semana informando que o sangue presente no tênis de Olimpio coincide com o sangue da vítima.

 

Com o resultado do exame não restou duvidas a polícia de que o autor do crime foi mesmo Olimpio Abel Antunes. Ontem (12) o delegado de polícia de Abelardo Luz, João Luis Miotto, concedeu entrevista ao PORTAL RBJ, disse que Olimpio já foi denunciado por latrocínio e encontra-se preso desde o fato, se condenado poderá pegar uma pena de 20 a 30 anos de prisão.