Receitas a base de peixe passarão a incrementar o cardápio de escolas e CMEIs em Francisco Beltrão. A novidade está sendo testada desde maio nas escolas que trabalham com o período integral e a partir da próxima semana será implantada nos CMEIs.

Para lidar melhor com o novo alimento do cardápio, as mais de 40 merendeiras da rede municipal de ensino estão recebendo informações sobre o peixe e novas técnicas de preparo da alimentação, numa parceria da Secretaria de Educação com a Unioeste. “Estamos focando o preparo deste tipo de alimento cozido, refogado e assado, mais saudável que se fosse frito”, explica a professora Claudia Galvan, do curso de Economia Doméstica.

Na capacitação, as merendeiras aprendem cinco tipos de pratos salgados e dois doces à base de peixe, levando em consideração o espaço físico das escolas, o pouco tempo e a grande quantidade para o preparo. Uma das preocupações, segundo a professora Claudia, é a descaracterização do alimento, já que muitas crianças tem aversão aos pratos com peixe. “Trabalhamos com pratos diversificados e adaptados, porque em alguns casos é preciso elaborar pratos que não pareçam ter sido feitos com peixe”, completa.

A inclusão do peixe na merenda visa melhorar a alimentação dos alunos com produtos de maior qualidade e mais saudáveis. A carne do peixe tem um teor de gordura muito baixo – e que são importantes para prevenir doenças – de micronutrientes e vitaminas, além de ácidos graxos essenciais, como o Ômega-3.

A cozinheira Eliana Joaquim, do CMEI Idalino Rinaldi, aprovou a elaboração dos pratos e espera que os mesmos tenham boa aceitação entre os alunos. “A gente aprende a fazer de um jeito fácil, agora tem que ver se eles vão gostar”, diz. Dois produtores de Francisco Beltrão já estão fornecendo o peixe para a merenda, através do Compra Direta.


Atualmente, mais de 8 mil alunos que frequentam as escolas e Cmeis são beneficiadas pela merenda. O investimento público do Município com a compra de alimentos gira em torno de R$2,5 milhões por ano.