A empresa contratada pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem) para a pavimentação da PR 459, entre Reserva do Iguaçu e Pinhão, alcançou com os serviços de pavimentação na última semana, a marca de 44,8% do trecho de 25 quilômetros. A tecnologia utilizada tem contribuído para uma maior agilidade e qualidade dos serviços.

Quem trafega pela rodovia já percorre um trajeto de 11,2 quilômetros sobre asfalto. De acordo com informações da fiscalização do DER, a empresa trabalha agora na regularização da sub-base de um trecho de 1500 metros. A meta para os próximos dias é de chegar à marca de 13 quilômetros pavimentados.

Paralelamente à pavimentação, está sendo executada a ampliação da ponte de concreto armado sobre o Rio Reserva, juntamente dos serviços de limpeza, construção de galerias pluviais e terraplanagem, estes que já ultrapassaram a divisa entre os dois municípios, chegando às proximidades da Cooperativa Agrária.

Para o prefeito Emerson Julio Ribeiro, que sempre tem acompanhado o andamento da obra, a agilidade nos serviços é motivo de comemoração, e significa que o sofrimento da população que utiliza da rodovia está prestes a acabar. “Estou muito feliz, não só com o andamento da obra, mas por saber que a realidade dos buracos, do pó nos dias secos e da lama nos chuvosos, está sendo revertida para uma obra de qualidade, que já está trazendo benefícios para os nossos agricultores e para a população da região”, disse Emerson.

TECNOLOGIA

A tecnologia utilizada no processo de pavimentação é de ponta.  Máquinas vibroacabadoras, que normalmente são utilizadas na colocação de asfalto, estão aplicando a base graduada, deixando o pavimento mais resistente e uniforme. Tradicional mente, este processo é feito com a colocação de brita graduada no solo, espalhada pelo chão por uma motoniveladora. Simultaneamente, é feita a compactação da brita, com um rolo compressor. Este processo é repetido por diversas vezes até que o solo seja nivelado.

Com a colocação por vibroacababoras, a brita é depositada diretamente na máquina, que implanta a base na espessura correta, necessitando apenas da compressão do solo. Segundo os fiscais da obra, este processo permite que a qualidade da base seja melhor, com a granulação correta, além da redução do tempo e execução.