A Comunidade da Paróquia São Pedro Apóstolo, de Pato Branco, viveu um momento especial em sua história com a celebração dos 50 anos de evangelização. A solene celebração ocorreu no dia 29 de junho, Festa de São Pedro e São Paulo. Com a Matriz tomada pelos fiéis, a celebração foi presidida pelo Frei Fidêncio Vanboemmel (Ministro Provincial – Paróquia São Francisco de Assis – São Paulo), concelebrada pelo Pároco, Frei Olivo Marafon, pelo Pe. Geraldo Macagnan (Administrador da Diocese de Palmas-Francisco Beltrão) e mais doze presbíteros diocesanos e da Ordem dos Frades Menores. Na procissão inicial, as lideranças entraram com as imagens dos santos padroeiros das comunidades.
Homilia
Na homilia, os jovens encenaram o diálogo de Jesus com o apóstolo Pedro, quando Jesus pergunta três vezes se este o amava. Na sua reflexão, Frei Fidêncio voltou à década de cinquenta, quando Pato Branco despontava com um potencial de crescimento, e que havia uma pequena igreja. Dom Carlos Eduardo de Sabóia Bandeira de Mello, provocava os Freis o povo: “Que o povo e os frades devem se unir e não poupar esforços para erguer uma igreja majestosa nesta cidade”. Em 1960, foi lançada a Pedra Fundamental e em 1965, o término da Igreja. Diz Frei Fidêncio: “Foram cinco anos de muita comunhão para construir uma majestosa igreja. Se o povo de Deus não fosse majestoso, isso seria impossível. Devemos olhar com gratidão a esse nosso passado não só porque temos um belo templo, mas agradecer a história eclesial, como pedras vivas que são vocês, querida comunidade de Pato Branco”. Continua: “Dom Carlos tinha em mente a Igreja de Jesus Cristo, com a presença de Pedro, como discípulo, para nos amadurecer. Em meio ao progresso, nós, hoje, devemos nos inquietar com as provocações de Dom Carlos. Como edificar, hoje, em nossa história, uma Igreja de Deus que seja majestosa, em tempo de Papa Francisco, sendo uma igreja que comunga com os pobres, igreja de saída, solidária, missionária, que vai ao encontro das periferias existenciais. As palavras de Dom Carlos continuam presentes. Que no hoje de nossa história possamos nos alimentar da esperança de uma igreja majestosa com nossa Diocese, construindo essa igreja cada vez mais bonita. Temos São Pedro como padroeiro que nos facilita a construir essa igreja, pois ele nos ensinou o que significa ser apaixonado por Jesus Cristo. Essa paixão nunca saiu do coração de Pedro”.