Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e o Núcleo Regional de Educação de Pato Branco estão unindo esforços para desenvolver ações de educação ambiental e de responsabilidade social. Essas ações estão traduzidas em dois projetos: um que busca a proteção dos mananciais, em especial os que compõem bacias de abastecimento, e outro – de cunho voluntário e social – que confecciona bonecos com material reciclado.

Desde 2012, o Comitê do Voluntariado da Sanepar em Pato Branco confecciona bonecos com os tubetes descartados das bobinas das contas de água e esgoto. Até agora foram confeccionados 1,9 mil bonecos, doados às crianças que ficam internadas na Policlínica de Pato Branco e no Hospital São Lucas. O objetivo deste trabalho é dar um pouco de carinho e colaborar para que as crianças se recuperem com alegria.

Diretores e professores da disciplina de artes gostaram do trabalho e acolheram a ideia. Assim, iniciaram as práticas com os alunos em sala de aula e nas oficinas de artes. A parceria trouxe um diferencial e os bonecos ganharam novas versões. “Com o olhar dos jovens estudantes, os bonecos tiveram variação nos modelos. Surgiram réplicas de super-heróis e de personagens de filmes infantis e de desenhos animados”, conta Neuza Caíres de Souza, que integra o Comitê. A participação de mais pessoas na ação de responsabilidade social e ambiental tem contribuído com a produção mensal dos brinquedos.

A diretora da Escola Estadual Carmela Bortot, professora Rosangela Leonardi, diz que em todos os anos a escola realiza ação solidária para ajudar as instituições assistenciais de Pato Branco. “Ao apresentarmos a proposta de confecção dos bonecos, os alunos e os professores compraram imediatamente a ideia e decidiram que este seria o trabalho solidário de 2015”, destaca. Estudam no colégio 400 alunos do 6º ao 9º ano. A diretora contou que diversos jovens levaram materiais de descarte da suas casas e aproveitaram para fazer mais peças para dar de presente aos irmãos e amigos ou para guardar de modelo.

Da escola ao rio

O Colégio Estadual Assis Brasil, de Clevelândia, é uma das escolas participantes do projeto Sustentabilidade: da Escola ao Rio. Os alunos, acompanhados por técnicos da Sanepar e por professores, fazem o monitoramento do rio por meio da coleta de amostras de água, sensibilizam a população e se envolvem no cuidado do córrego próximo da escola. “O programa reforça o conceito de sustentabilidade, aliando os aspectos econômicos, ambientais, sociais e culturais na conservação dos recursos hídricos”, destaca o gerente regional da Sanepar, Aderbal Roncatto.

A chefe do Núcleo Regional de Educação Rita de Cássia Cordeiro Augusto afirma que a crise hídrica no país está promovendo uma mudança de comportamento e se mostra muito otimista com o projeto. “É o primeiro passo que vai contribuir para o desenvolvimento dos alunos que precisam ser educados para o novo cenário nacional. O conhecimento propicia a mudança de atitude e é isso que buscamos”, afirmou. A intenção da equipe Núcleo de Pato Branco é tentar envolver as 90 escolas dos 15 municípios vinculados ao órgão regional.

De acordo com a assistente social da Sanepar, Marilúcia Cyrino Rodrigues, que acompanha os trabalhos do projeto na região Sudoeste, “a ideia é que a escola envolvida adote o rio e atue como monitora das ações, que vão deste a construção do diagnóstico da bacia, planejamento e execução de ações e definição de metas contínuas de preservação e de proteção ao rio”.