Devolver a autoestima e proporcionar novos conhecimentos. Esse foi o principal objetivo de um curso de corte e costura realizado pela Escola Profissionalizante Essei em parceria com a Secretaria de Ação Social, através de clubes de mães. O curso foi gratuito e contou com a participação de 12 mulheres, com idade entre 40 e 50 anos, da cidade e interior de Francisco Beltrão. Foram 64 horas, cerca de dois meses.

O encerramento aconteceu na tarde desta quarta-feira (17) com um desfile na sede da escola Essei. As participantes tiveram a oportunidade de desfilar usando as roupas feitas por elas mesmas no período de aprendizado. De acordo com a instrutora Delma Santini, o curso teve um resultado extremamente positivo. Segundo ela, em apenas dois meses as participantes conseguiram apreender como cortar e costurar, sem a utilização de moldes, bem diferente dos cursos normais. Além disso, foi uma ótima oportunidade para que a maioria recuperasse a autoestima.

Para criar as peças de roupas, não foram utilizados tecidos específicos. Cada uma juntou retalhos, roupas velhas e até mesmo cobertores. Tudo foi transformado em belas calças, blusas, vestidos, pijamas para dormir, entre outros modelos.

Além da oportunidade de mostrar para familiares e para a imprensa, o desfile também serviu para a entrega de certificados a todas as participantes. A dona de casa Dilva de Souza Espindola Karczewski é associada ao Clube de Mães do Bairro São Cristóvão e está bastante motivada com o novo aprendizado. “Eu já sabia costurar, mas não tinha noção nenhuma de cortar, de moldar o tecido, agora sou uma costureira completa, posso até trabalhar em alguma empresa”, revelou.

Simone Cristiane Khol, moradora da comunidade Menino Jesus, revela que teve no curso a oportunidade de realizar um sonho de criança. “ Fiquei muito feliz, essa foi a chance que tive de realizar meu sonho de costurar, de montar minhas próprias roupas. Foi bastante difícil, por que a instrutora cobrava bastante da gente, dava bronca, mas nunca pensei em desistir e hoje estou muito contente por ter conseguido concluir o curso. Agora posso consertar minhas roupas e da família e também se um dia precisar vou poder trabalhar nesse ramo”, disse.

Fotos: Evandro Artuzi/RBJ